Manifestações de estudantes continuam contra ensino integral em Vilhena

Arquivado em: Geral |

 

Com faixas e argumentos, estudantes fazem plantão em frente à escola estadual Álvares de Azevedo, em Vilhena. A instituição juntamente com a escola Shirley Cerutti foram cotadas para a implantação do ensino integral no município, o caso foi parar no Ministério Público (MP).

Gustavo Barreto, de 17 anos, é um dos jovens que marcam presença na instituição, e afirmou que alguns pais estão se sensibilizando com a causa.

“Enquanto aguardamos um posicionamento do MP, quanto ao documento que o Sindicato dos Trabalhadores em Educação no Estado de Rondônia (SINTERO) protocolou, tentamos convencer os pais que vem até a escola a não fazer a rematrícula agora, e sim no final da semana”, explicou Gustavo.

Gustavo, que cursará o 3º ano do ensino Médio, destacou que o movimento conta com o apoio do Conselho Escolar, SINTERO e pais. A abordagem tem surtido efeito, afirmou o estudante.

“Conseguimos que mais de 120 pais assinassem uma lista se comprometendo a deixar a rematrícula de seus filhos para o último dia sexta-feira, 13”, contou o jovem.

Gustavo destacou que uma equipe de técnicos da Secretaria de Estado da Educação de Rondônia (SEDUC), vindos de Porto Velho, estarão na escola nesta quinta-feira, 12, para uma reunião às 18h00 com a comunidade escolar.

Sobre a escola Shirley, o diretor regional do Cone Sul/SINTERO João Assis da Silva, explicou que extraoficialmente a “integração” não ocorrerá mais. “O que nos foi passado é que a representação de ensino teria voltado atrás quanto a participação do Shirley no projeto, porém não há nenhum documento apresentado por enquanto. Seguimos aguardando o posicionamento do MP quanto ao assunto”, concluiu João.

Requerimento protocolado pelo SINTERO no MP

Texto: Extra de Rondônia

Fotos: Extra de Rondônia/SINTERO