Em visita ao Extra, vereador fala sobre denúncia de duplo domicílio e faz duras críticas ao prefeito de Cerejeiras

Arquivado em: Conesul |

Em visita ao Extra de Rondônia o vereador Pedro José Sanches (PMDB), mais conhecido por “Pedrinho” do município de Cerejeiras, esclareceu sobre os rumores de sua mudança para Vilhena e sobre suas ações durante essa gestão.

Segundo José, em nove meses de mandato no município de Cerejeiras, ele tem feito um trabalho de oposição ao prefeito, oposição no aspecto de decisões que afetam diretamente a população, exemplo disso o aumento da taxa de lixo, onde não houve discussão e foi implantada sem consultas prévias.

Outro ponto relatado pelo vereador foi sua ida à Brasília, onde buscou saber sobre o andamento do projeto da rede de esgoto realizada pelo prefeito que continua paralisada.

O edil afirmou que parte das promessas que o atual prefeito realizou não foram cumpridas, exemplo disso foi a implantação de uma faculdade presencial na cidade e o investimento em equipamento para os postos de saúde que estão desguarnidos de materiais e profissionais. O vereador ainda ressaltou que o prefeito havia dito que assim que assumisse, o horário de funcionamento da rede básica seria integral, mas isso não está ocorrendo.

De acordo com Pedrinho “os requerimentos e indicações tem sido atendidos pelo prefeito, isso porque esse direito está resguardado por lei, mas os ofícios e convites para reuniões, eu e outros colegas temos sido deixados de fora, pois para ele somos a oposição.”

O vereador também destaque que “a taxa de iluminação esta sendo cobrada corretamente, mas não esta sendo realizada a manutenção necessária. Eu acredito que daqui um tempo toda a população ficará no escuro e o prefeito continuará só acumulando os tributos. E detalhe, Cerejeiras tem dinheiro e empresa para atender a demanda, mas não é realizado o serviço”.

Pedro comentou também sobre a saúde da cidade, segundo ele: “estava melhor equipada em comparação a atual gestão antes haviam seis profissionais hoje não há nenhum. Cabe citar que recentemente o maior centro de saúde foi reformado e pegou fogo, prova que o serviço foi mal feito, e hoje um dos únicos centro especializado em odontologia  não está sendo usado, por falta de material e  profissional para atuar.”

José ainda pondera que: “o prefeito judicializou a saúde, pois tudo que se precisa só pode vir por meio da justiça e demora um longo tempo para  a chegada dos recursos”.

“Já a educação vem caminhando, conseguimos realizar alguns eventos culturais, pois nos outros anos parte dos eventos foi cancelado pelo prefeito sempre com a mesma alegação de não possuir verba” pontuou o edil.

O vereador destacou que: “Cerejeiras era uma cidade muito bonita, toda asfaltada, após iniciar a implantação da rede esgoto todo o asfalto foi destruído. Hoje o município encontra-se em uma situação deplorável, devido a isso estamos em cima para obter uma resposta desta rede que até hoje não foi concluída enquanto em outros municípios já foi realizada e começaram no mesmo período.”

Pedro ressalta “acredito que a obra não foi executada corretamente, os buracos abertos foram maiores que o normal e o uso da retroescavadeira causou grande devastação pelas ruas.”

Outro ponto levantado pelo vereador  foi “ uma estratégia que pude observar foi que no primeiro mandato o prefeito passou três anos parado. E no último ano, por ser ano eleitoral, ele colocou máquinas para  trabalhar, mas depois da eleição não havia nada, nenhuma máquina funcionando.”

“ Em relação ao roubo de documentos que o prefeito alegou ter ocorrido, eu acho muito estranho, pois nunca houve isso e que ladrão entraria em um local só para roubar documentos, cabe destacar que um dos documentos que ele alegou ter sido roubado foi o das permutas de terras feito pelo vereador Sapata.  Outro caso também intrigante, foi o roubo dos computadores do centro de saúde que foi levado para a creche ‘Mundo da Criança’, o local nunca havia sido invadido, mas acabou ocorrendo. Muito estranho isso!”

O edil conta que: “ hoje vejo a população cerejeirense com muita tristeza e sem esperanças, pois infelizmente a maior estrutura que se tem em Cerejeiras é a prefeitura e possui cerca de R$ 3 milhões arrecadados por ano que não estão sendo bem aplicados.”

Segundo ele “o prefeito tomou a atitude de não investir o dinheiro para estar retornando o valor  ao comercio local, prova disso é que ele não lava a frota de veículos do município nos lavadores da cidade, ele não arruma os pneus nas lojas locais e centralizou tudo para um pastor que atua dentro da secretaria de obras, onde ele e um pequeno grupo vem sendo beneficiados com os  recursos arrecadados.”

Outro ponto abordado pelo vereador é que: “ o prefeito parece um office boy do município, pois vive viajando.

José pontuou também que “o último concurso foi feito em 2011 e o prefeito tem administrado  tudo com cargo comissionado e processo seletivo, a população está indo embora devido a falta de empregos e estabilidade de sua gestão”.

Em relação à denúncia feita contra o Pedro alegando que o mesmo havia se mudado para Vilhena, ele afirma que não é verdade, pois está em mandato e está há muito tempo em Cerejeiras e não vê motivos para mudar-se de lá. José também relata que estava em Vilhena devido à doença de sua mãe, por isso passou algum tempo aqui acompanhando a mesma.

O vereador finaliza reforçando que para que Cerejeiras volte a ser como era antes é necessário que “o prefeito cumpra a promessa de trabalhar com cooperativismo, não só com os grandes empresários, mas também os micro empreendedores. A exemplo disso é a área social que nunca mais realizou um curso em parceria com o Sebrae ou Senai voltado para as demandas da nossa região como mecânico de máquinas agrícolas, pedreiro, carpinteiro entre outros”.

 

Texto e Fotos: Extra de Rondônia