Homem acusado de tentar matar a mulher a facadas na própria delegacia irá a júri popular

Arquivado em: Policial |

Acusado de tentar matar a mulher com uma faca na própria delegacia irá a júri popular na comarca de Vilhena.

O crime ocorrido em maio de 2017 foi qualificado como feminicídio e irá a julgamento no dia 24 de novembro, encerrando a pauta de julgamento da 4ª Reunião Periódica do Tribunal do Júri.

Os júris começam na segunda-feira, dia 20 de novembro, e contará com quatro sessões agendadas pela juíza Liliane Pegoraro Bilharva.

O caso em destaque levará ao banco dos réus Claudivan Gonçalves da Silva, acusado de tentar matar a companheira, Lenice Martins.

Inconformado com o fato tê-lo buscado num bar, ele confessou tê-la agredido com uma chave de roda, vindo a atingi-la na região da cabeça, causando-lhe lesões. Em casa, trancou-a no quarto e a ameaçou com uma faca que deixou debaixo do travesseiro.

Simulando estar doente, a vítima conseguiu afastar o denunciado de casa e acionar a polícia que os conduziram até a delegacia junto com a faca. Lá, Claudivan simulou que queria fazer uma ligação, se dirigiu à mesa para pegar o celular, quando então, abruptamente, se apoderou da faca e passou golpear a vítima, vindo a atingi-la no joelho e antebraço esquerdos. A polícia interveio e evitou o pior.

Também será submetido à apreciação do júri o crime conexo, qual seja: as lesões corporais praticadas na forma de violência doméstica, cuja ocorrência foi admitida pelo réu e pela vítima e que foram a razão da condução de ambos até a delegacia, local em que, em tese, a tentativa de homicídio foi praticada.

A sessão de julgamento iniciará, assim como nas demais, às 9h, e contará com a defesa do advogado José Francisco Cândido.

Autor: TJ/Rondoniadinamica

Foto: Divulgação

 

COMUNICADO: Atenção caros internautas: recomenda-se critérios nas postagens de comentários abaixo, uma vez que seu autor poderá ser responsabilizado judicialmente caso denigra a imagem de terceiros. O aviso serve, em especial, aos que utilizam ferramentas de postagens ocultas ou falsas, pois podem ser facilmente identificadas pelo rastreamento do IP da máquina de origem, como já ocorreu.

A DIREÇÃO