Após polêmica, presidente da Câmara diz que “Verba Indenizatória” pode ser revogada

Arquivado em: Política |

Adilson Oliveira (PSDB) tentou justificar a ouvinte de rádio os recursos repassados a cada vereador

O presidente da Câmara de Vilhena, Adilson Oliveira (PSDB), durante entrevista a um programa radiofônico nesta segunda-feira, 13, confidenciou: a verba indenizatória que cada vereador tem direito pode ser revogada.

Ao vivo, um ouvinte questionou o caso e o parlamentar tentou justificar o uso do recurso, que é destinado exclusivamente ao ressarcimento de despesas relacionadas à atividade parlamentar.

Adilson iniciou seus argumentos dizendo que cortou gastos desnecessários que eram feitos na gestão anterior, como, por exemplo, a verba de mídia institucional. Disse, também, que baixou seu salário, assim como o valor das diárias dentro do Estado de Rondônia.

Explicou que a tal verba indenizatória, no valor de R$ 5 mil, criada neste ano, tem por finalidade atender cada vereador com R$ 2,5 mil destinado à divulgação de ações via imprensa e mais R$ 2,5 mil para gastos com combustíveis. “O nosso relatório é crítico em cima do uso deste recurso. Porém, até agora ninguém usou, o que pode ser constatado no Portal da Transparência.  Na verdade, estamos fazendo economia. Mas, se não de certo, ela pode ser revogada. Até agora só temos resultados positivos”, detalhou.

NÃO RESPONDEU

Contudo, o presidente do legislativo não respondeu ao principal questionamento do ouvinte e de toda a população: o envolvimento de esposa e filhos de vereadores nos gastos da verba indenizatória.

Através de Resolução nº 005, a verba indenizatória foi publicada no Diário Oficial, editado no dia 14 de setembro deste ano.

Fonte: Extra de Rondônia

Fotos: Extra de Rondônia

COMUNICADO: Atenção caros internautas: recomenda-se critérios nas postagens de comentários abaixo, uma vez que seu autor poderá ser responsabilizado judicialmente caso denigra a imagem de terceiros. O aviso serve, em especial, aos que utilizam ferramentas de postagens ocultas ou falsas, pois podem ser facilmente identificadas pelo rastreamento do IP da máquina de origem, como já ocorreu.

A DIREÇÃO