mercado paulista

Greve dos trabalhadores em educação paralisa aulas da rede estadual em Cerejeiras

Arquivado em: Conesul |

 

Em reunião realizada na manhã desta segunda-feira,12, mais uma escola aderiu ao movimento.

Com o Ceeja paralisado, o município suspendeu suas aulas, ficando em atividade somente os setores essenciais ao funcionamento das unidades. Com a pressão dos trabalhadores na Assembleia Legislativa e manifestações em Porto Velho, a Mesa de Negociação do governo marcou para amanhã, dia 12, a partir das 11h, em Porto Velho, uma reunião com os dirigentes do Sintero.

O chefe da Casa Civil, Emerson Castro, se comprometeu em apresentar uma proposta para a categoria dos trabalhadores. Na última sexta-feira, 09, os servidores de Cerejeiras saíram às ruas em protesto, oportunidade em que promoveram um pit stop, entregando uma carta aberta à população.

No documento, os trabalhadores voltam a destacar os motivos da greve e pedem, por outro lado, o apoio e a compreensão da sociedade na luta para o cumprimento da Meta 17, que trata da valorização dos profissionais em educação e o atendimento do Plano Estadual de Educação (PEE), previsto na Lei 3.565/2015, aprovada pela Assembleia Legislativa, mas que o governo estadual não cumpre.

Na semana passada, os trabalhadores realizaram um protesto no prédio da Coordenadoria Regional de Educação (CRE), ato que contou com as explicações da chefe do órgão, Maria Ferreira.

Texto: Assessoria

Foto: Ilustração

COMUNICADO: Atenção caros internautas: recomenda-se critérios nas postagens de comentários abaixo, uma vez que seu autor poderá ser responsabilizado judicialmente caso denigra a imagem de terceiros. O aviso serve, em especial, aos que utilizam ferramentas de postagens ocultas ou falsas, pois podem ser facilmente identificadas pelo rastreamento do IP da máquina de origem, como já ocorreu.

A DIREÇÃO