Ex-assessor denuncia fraude em concurso da Câmara, manobra em CPI’s e manda recado a vereadores: “Sei o rolo de vocês”

Arquivado em: Política |

Junior Pintor garante: “Tudo o que eu falo é verdade. Não menti nenhuma vírgula aqui”

Pintor (à esq) na redação do Extra de Rondônia

O ex-assessor Antônio José de Oliveira Junior, conhecido popularmente como Junior Pintor, visitou a redação do Extra de Rondônia nesta semana para revelar graves acusações contra vereadores de Vilhena.

Junior, que é líder do PSDB em Vilhena, se diz revoltado após tomar conhecimento de que um grupo de parlamentares que, segundo ele, quer “puxar o tapete” para tirar ele da presidência.

Na Câmara de Vilhena, três dos onze vereadores são tucanos: Samir Ali (presidente da Casa), Rafael Maziero e Adilson de Oliveira (prefeito-tampão).

Júnior – que trabalhou no Poder Legislativo por 1 ano e 3 meses, e depois foi secretário de agricultura – também justificou seu comportamento porque “conheço os bastidores da política e sinto vergonha de tudo isto. Alguns vereadores, inclusive, já eram para estarem presos”.

Sem citar outros, ele disse que os casos que serão relatos abaixo, foram repassados às autoridades. “Muitas destas coisas estão em investigação. Mas isso depende da Justiça. Tudo o que eu falo é verdade. Não menti nenhuma vírgula aqui”, garante

MANOBRA EM CONCURSO PÚBLICO

Junior Pintor disse que um vereador do seu partido (o qual não quis citar o nome) revelou suposta fraude em concurso público que será realizado, em breve, no Poder Legislativo.

De acordo com ele, a manobra seria especificamente no cargo de Procurador da Casa. O salário deste profissional seria R$ 6,7 mil, mas o valor seria diminuído a R$ 2,8 mil para que candidatos de outros municípios não tenham interesse em participar do certame.

“Fiquei calado muitos dias, e meu coração estava parando. Mas vou denunciar uma situação que aconteceu na Câmara: a manobra que estavam fazendo para fraudar o concurso público que vai acontecer. Sabe quanto um procurador da Câmara ganha? R$ 6,7 mil. Estavam fazendo manobra para ninguém participar, só os compinchas deles. Queriam baixar o salário de Procurador para R$ 2,8 mil. Com esse valor, ninguém de fora iria vir participar. Não colocaram esse valor porque eu briguei. Eu disse: ‘enquanto eu estiver vivo, no PSDB vocês não fazem isso’. Eles fizeram outra proposta para aumentar a R$ 4,5 mil. É a maior manobra que já ví na política que eles queriam fazer. Eu nunca peguei nenhum real de dinheiro público. Falam por aí que eu sou doido, podem falar, mas não sou ladrão de dinheiro público. Se precisar faço acareação”, desabafou.

ENGAVETAR CPI’s

O ex-assessor também denunciou manobra para engavetar a Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) para cassar os mandatos dos vereadores Marcos Cabeludo (PHS) e Célio Batista (PR). Eles estão afastados do cargo, mas recebem salário mensal: Célio R$ 10 mil e Cabeludo R$ 8 mil.

Segundo Pintor, quem decide o desenrolar da CPI é o presidente da Casa, Samir Ali, que pertence a seu partido político.

Antes de assumir a presidência do Legislativo, Samir era relator do caso do vereador Célio Batista. Leia AQUI

“O relator do caso era um vereador do meu partido. Envergonhou o PSDB. Sabe porquê a CPI está enterrada? Que a população vilhenense não sabe? Eles (os vereadores) fazem reunião na madrugada para falar sobre esse assunto. Não tenho nada contra Marcos Cabeludo ou Célio Batista. Eu cansei de ouvir nas reuniões que não podem cassar esses vereadores porque quem entrava na Câmara era Josué Donadon e a Neidi Ikino, eles são contra nós. É isso que falavam. É direito da Câmara empossar os suplentes. Só que eles nunca fizeram isso. A Câmara tem que ter 13 vereadores, hoje tem 11. Os vereadores culpam a Justiça, mas a verdade é que o presidente da Casa é quem convoca os suplentes. Como explica o vereador Adilson Oliveira tomar posse de prefeito e, minutos depois, o Samir é empossado presidente da Câmara? É jogo de compadres.  Eles não queriam me deixar sair da câmara com medo de falar alguma coisa. Nos bastidores, essa política vilhenense é muito suja. Peitem o Júnior Pintor pra vocês ver. Querem me matar? Então matem, se vocês são o ‘bicho da goiaba’. Eu sei o rolo de vocês, até fora da política”, denunciou.

O OUTRO LADO

SAMIR ALI

A reportagem do Extra de Rondônia ouviu o presidente do Legislativo, Samir Ali. Com relação às acusações de suposta manobra no concurso público, ele não quis se pronunciar.

Já a respeito do suposto engavetamento das CPI’s, Samir disse, provavelmente, Junior estava nervoso na hora e explicou: “Não é manobra. A CPI do Marcos Cabeludo demos prosseguimento e já era para ser votado. Há uma decisão judicial. A do Célio (Batista) eu pedi para dar uma atenção especial para solucionar quanto antes esse problema. Devido à grande trabalho temos essa dificuldade. Os vereadores têm respeito e querem que essa situação se revolva quanto antes. São os procedimentos que temos que respeitar”.

RAFAEL MAZIERO

Ouvido pelo site, Rafael Maziero, que é  1º secretário do Poder Legislativo, disse que essa informação não procede. “Não é o meu perfil ‘puxar o tapete’ de ninguém. Jamais iria fazer algo neste sentido. Não quero ser presidente do PSDB. Isso eu afirmo”.

ADILSON DE OLIVEIRA

Ao Extra de Rondônia, Adilson, que antes de assumir a prefeitura era presidente do Legislativo, disse que “não tenho nada a ver. De forma nenhuma. E ele não tem nada a falar de mim. Se ele falar, tem que provar”. Garante, ainda, que Junior fez um bom trabalho na prefeitura.

 

Texto: Extra de Rondônia

Foto: Extra de Rondônia

COMUNICADO: Atenção caros internautas: recomenda-se critérios nas postagens de comentários abaixo, uma vez que seu autor poderá ser responsabilizado judicialmente caso denigra a imagem de terceiros. O aviso serve, em especial, aos que utilizam ferramentas de postagens ocultas ou falsas, pois podem ser facilmente identificadas pelo rastreamento do IP da máquina de origem, como já ocorreu.

A DIREÇÃO