Acusados de dupla tentativa de homicídio, parceiros de crime são condenados a mais de 10 anos de prisão cada

Arquivado em: Policial |

 

Em julgamento realizada nesta quarta-feira, 08, o Tribunal do Júri da comarca de Vilhena, condenou os réus, Cleberson Santos Viera, vulgo “ Clebinho” a 12 anos e 5 meses de reclusão,  e seu parceiro de crimes, Ezequiel Costa da Silva, a 10 anos e 9 meses, pelas tentativas de homicídio contra Pedro Henrique de Oliveira e Paulo Henrique.

O crime aconteceu em 14 de maio de 2016, na Rua 903, no Setor 9, em Vilhena. O motivo seria acerto de contas contra uma das vítimas.

A sessão de julgamento, ocorrido no Fórum Desembargador Leal Fagundes, foi presidida pela Juíza de Direito, Liliane Pegoraro Bilharva, com a participação do promotor de justiça João Paulo Lopes e o defensor público, Matheus Lichy, que apresentaram as teses de acusação e defesa, respectivamente.

O representante do Ministério Público requereu que os réus são os autores de tentar matar Pablo Henrique e P.H. Além disso, ambos fazem parte da facção criminosa Comando Vermelho (CV), sendo considerados de alta periculosidade para a sociedade vilhensense.

Por sua vez a defesa alegou que não há provas contundentes que os réus seriam os autores da dupla tentativa de homicídio. Para o defensor as acusações contra os réus são devido a uma falha no processo criminal.

Réplica

O promotor João Paulo disse que a mãe de uma das vítimas reconheceu os réus como sendo os autores da tentativa de homicídio. “Klebson possui extensa ficha criminal e é suspeito de 14 homicídios investigados pela Polícia Civil”, pontuou João Paulo.

Tréplica

A defesa rebateu a acusação alegando que no dia do crime os acusados estavam fora da cidade e que houve falhas na investigação. “Não há provas dos réus serem autores dos fatos”, enfatizou o defensor público.

Cleberson Santos Vieira

Ezequiel Costa da Silva

Texto e fotos: Extra de Rondônia

COMUNICADO: Atenção caros internautas: recomenda-se critérios nas postagens de comentários abaixo, uma vez que seu autor poderá ser responsabilizado judicialmente caso denigra a imagem de terceiros. O aviso serve, em especial, aos que utilizam ferramentas de postagens ocultas ou falsas, pois podem ser facilmente identificadas pelo rastreamento do IP da máquina de origem, como já ocorreu.

A DIREÇÃO