Candidato a vice-governador, coronel quer apenados produzindo seus próprios alimentos e pretende cortar “cabides” de emprego

Arquivado em: Política |

 

Na última quarta-feira, 13, visitou a redação do Extra de Rondônia o candidato a vice-governador Fábio Alexandre Sandro França (PRTB), mais conhecido por “Coronel Alexandre” para falar sobre os projetos de sua chapa liderada por Charlon da Rocha Silva, o “Coronel Charlon”, candidato a governador.

Morador de Porto Velho, Alexandre conta que a ideia de dois coronéis formarem uma chapa para o governo de Rondônia é inédita.

Segundo ele, a vontade surgiu da indignação do descaso e desmandado do atual cenário político de todo o país.

“Nas conversas que tenho com o coronel Charlon destaco que dentro da vida militar sempre foi nos dado miséria para administrar e o fazíamos, com excelência. Então, por que não tentar organizar a administração de nosso Estado que é rico de recursos, já que as figuras que se repetem a todas as eleições só prometem e não contribuem com o desenvolvimento?”, questionou.

CONE SUL

Segundo França, quando trabalhou como policial, andou o Estado inteiro e viu de perto o abandono das regiões. “O Cone Sul em especial precisa de incentivo no agronegócio, já que a região é uma grande produtora de grãos e de gado. Vejo que os governos anteriores foram muito omissos e as deixaram esquecidas. Na nossa gestão pretendo melhorar isso”, disse.

Ao seu ver, para o desenvolvimento de um Estado, é necessário economizar, pois sem economia e corte de gastos não se consegue ir a lugar algum. “Quando planejamos bem, sempre sobra dinheiro para aplicação nas áreas de maior carência como a saúde, educação e segurança”, assegura.

MILITARISMO COMO PARÂMETRO DE GOVERNO

Sobre este assunto, o candidato diz que  “a carreira nos deu princípios norteadores, dentre eles o cuidado com o outro e prestação de contas. E é por isso que nosso governo será implantado dentro do aspecto de segurança pública, como espelho central para a administração do Estado, até porque somos da Policia Militar”.

Ele também conta que junto com seu companheiro de chapa, puderam visualizar que 40% dos gastos em saúde vêm da negligência com segurança. Outro ponto a ser resolvido é o problema da criminalidade rodeando as escolas.

ESCOLAS MILITARES

Em relação à educação, França afirma que em seu governo não a deixará nas “mãos da marginalidade”, pois pretende direcioná-la a metodologias disciplinares. “É possível ver uma grande diferença em escolas militares e as que não são. A padronização nas vestimentas, postura e visual tendem a trazer a organização. Isso só tem gerado resultados positivos, os índices estão ai para comprovar”, ponderou.

De acordo com França a ideia é fortalecer as escolas militares e na medida que se desenvolverem, convocar os representantes da Secretaria de Educação Estadual de Rondônia (Seduc) para ver a possibilidade de ampliar o número de escolas ou  fortalecer as existentes.

O candidato reforça que o projeto não consiste em tirar os professores especializados de sua função, mas sim deixa-los trabalhar em um ambiente  seguro e digno.

 PLANOS DE GOVERNO

França narra que antes de entrar com investimentos precisará economizar muito, para que assim que “desafogar” a situação financeira do Estado possa empenhar altos recursos na saúde, educação, infraestrutura e segurança. “Talvez esse seja nosso diferencial, temos uma ideia mais realista e racional para gerir Rondônia”, observa.

Um dos aspectos citados para economia de recursos é o corte de portariados, que ao seu ver são “cabides” da vida pública, além dos contratos informais ou desnecessários. “O foco é cortar toda e qualquer saída de dinheiro desnecessário para começar a atender o povo”, analisa.

Outro ponto levantado pelo candidato ao cargo de vice-governador é o de enxugar a situação dos gastos nos presídios. “Os apenados geram um alto custo. Investiremos em cozinhas industriais para que produzam seus próprios alimentos, levaremos oficinas para fazê-los trabalhar e se ressocializar”.

PROJETOS

Para área da saúde, França trabalhará para torna-la regionalizada, com centros que atendam a toda a localização, além de investir na contratação de profissionais qualificados.

“Apostarei na administração de hospitais por gestores, não médicos. Quero trazer um aplicativo para marcar atendimento nos centros e acabar com o transtorno de ter que chegar de madrugada, e esperar horas em uma fila para ser atendido”, avalia.

Já para segurança, o Coronel Alexandre afirma que a chapa será intolerante com marginais. Para os profissionais da área será ofertada infraestrutura de trabalho, em especial com uso de tecnologia de ponta e monitoramento, motivação salarial, além de contratação de mais agentes.

França também pretende devolver a autonomia para policiais e bombeiros no momento da aquisição dos produtos utilizados no trabalho.

Em relação ao espaço destinado ao público feminino, o coronel enfatiza que os índices de violência contra mulher tem crescido. “Diante dos números quero incentivar ainda mais a busca de espaço das mulheres, e, pra isso, pretendo criar a patrulha da Lei Maria da Penha, além de incentivar e reservar vagas para mulheres ocuparem cargos como delegada”, garante.

CAMPANHA

Coronel Alexandre informa que durante essas semanas visitará várias cidades, sua estadia em Vilhena seguirá até sábado. Após, irá cumprir agenda em Cerejeiras, Colorado, Pimenteiras, Cabixi, Corumbiara e por último Chupinguaia.

O candidato finaliza ressaltando que, caso seja eleito, a população poderá esperar dignidade, respeito e combate à corrupção.

 

Texto: Extra de Rondônia

Fotos: Extra de Rondônia

COMUNICADO: Atenção caros internautas: recomenda-se critérios nas postagens de comentários abaixo, uma vez que seu autor poderá ser responsabilizado judicialmente caso denigra a imagem de terceiros. O aviso serve, em especial, aos que utilizam ferramentas de postagens ocultas ou falsas, pois podem ser facilmente identificadas pelo rastreamento do IP da máquina de origem, como já ocorreu.

A DIREÇÃO