Queimada 728×90
Obras estão paralisadas / Foto: Extra de Rondônia

O Ministério Público (MP) investiga a suposta malversação de recursos públicos numa obra milionária que deveria ser concluída há três anos em Cerejeiras.

Trata-se das obras do Teatro Municipal que iniciaram em dezembro de 2015 e deveria ser entregue à população em junho de 2016.

No valor de R$ 1.039.181,31, as obras atualmente estão paralisadas e sem previsão do término dos trabalhos. Conforme a placa de identificação, está sob responsabilidade de construtora João de Barro Ltda.

O promotor de justiça Victor Ramalho Monfredinho instaurou inquérito civil para apurar eventual ato de improbidade administrativa.

Em 16 de janeiro passado, Monfredinho enviou ofícios a membros da prefeitura de Cerejeiras solicitando informações sobre as obras.

Ao procurador do Município, Fernando Alves, solicitou parecer acerca do processo administrativo relativo à obra, declinando a fase em que se encontra, providências futuras e as razões pelas quais a obra não foi concluída.

Procurador deverá encaminhar informações / Foto: Extra de Rondônia

À Secretaria Municipal de Educação, Zenilda Mendes da Silva, solicitou cópia do processo administrativo, bem como indicação da autoridade a quem compete a supervisão da obra do Teatro Municipal. “Deverá descrever a atual fase da obra, providências remanescentes e a razão da sua não conclusão”, completou o promotor.

A reportagem do Extra de Rondônia esteve no local e constatou o “abandono” da obra, com sua estrutura sendo comprometida em decorrência das chuvas.

Placa indica responsáveis, inicio e término da obra / Fotos: Extra de Rondônia

segurança – 468×60

COMUNICADO: Atenção caros internautas: recomenda-se critérios nas postagens de comentários abaixo, uma vez que seu autor poderá ser responsabilizado judicialmente caso denigra a imagem de terceiros. O aviso serve em especial aos que utilizam ferramentas de postagens ocultas ou falsas, pois podem ser facilmente identificadas pelo rastreamento do IP da máquina de origem, como já ocorreu.

A DIREÇÃO