Estamos em guerra governo 728×90  – ALE celular 300×250
Estamos em guerra 468×60

 

Foto: Reprodução Rede Social

Nilton Bragança, de 50 anos, foi morto na noite de quarta-feira, 23, com 13 tiros de pistola calibre .40, quando estava num bar na Rua 1506 com a Avenida 1511, no bairro Cristo Rei, em Vilhena. Leia (AQUI).

Após o crime, diversas informações chegaram ao setor de investigação da polícia, inclusive que poderia ter sido por vingança, já que Nilton e seu irmão Nilson foram acusados pela morte de Eliabi de Oliveira, de 25 anos, crime ocorrido no ano de 2013. Leia (AQUI).

Na época, Nilton confessou o crime e revelou que foi por vingança, já que tinha informação que Eliabi tinha matado sua filha Mayli Bragança, de 21 anos, crime ocorrido no mesmo ano.

Nilton e Nilson foram a julgamento, Nilton foi condenado a 6 anos em regime semiaberto e Nilson foi absolvido. Leia (AQUI).

Contudo, uma informação que chegou aos policiais pode mudar o rumo das investigações, ocorre que, uma pessoa contou que Nilton pode ter sido morto por ter comprado uma propriedade de um membro da facção criminosa Comando Vermelho (CV), apontou nome e apelido, fato este que teria deixado membros da facção rival Primeiro Comando da Capital (PCC) contrariados, e por isso teriam ordenado sua morte.

estamos em guerra 728×90 2
covid 468×60

COMUNICADO: Atenção caros internautas: recomenda-se critérios nas postagens de comentários abaixo, uma vez que seu autor poderá ser responsabilizado judicialmente caso denigra a imagem de terceiros. O aviso serve em especial aos que utilizam ferramentas de postagens ocultas ou falsas, pois podem ser facilmente identificadas pelo rastreamento do IP da máquina de origem, como já ocorreu.

A DIREÇÃO