dengue 728×90 – 2
A reportagem do Extra de Rondônia conheceu nesta semana detalhes sobre o sistema que mantém o terminal aeroviário vilhenense em pleno funcionamento
A reportagem do Extra de Rondônia conheceu nesta semana detalhes sobre o sistema que mantém o terminal aeroviário vilhenense em pleno funcionamento

A idéia de se produzir o material surgiu em função de rumores acerca de suposto incidente na pista de pouso do Aeroporto Brigadeiro Camarão, que poderia provocar a interdição das operações. O boato dava conta que um homem teria invadido a pista em plena operação de aterrissagem, obrigando o piloto a arremeter a aeronave (procedimento em que o pouso é abortado e o avião torna a ganhar altitude). De acordo com Manuel Alberto Martins Figueiredo Grégio, administrador do aeroporto da cidade, se houvesse acontecido algo do gênero o complexo já estaria interditado pela Agência Nacional de Aviação Civil.

“Na verdade, houve uma invasão da área de manobras dos aviões cometida por uma pessoa que tem problemas mentais, mas o caso aconteceu com as aeronaves no solo, e em poucos segundos ele foi retirado do local sem oferecer riscos ou conseqüências mais sérias. O incidente serviu para testar o sistema de segurança, que funcionou perfeitamente”, disse Manoel. Para demonstrar que o assunto é levado muito a sério pela administração, ele fez questão de simular uma ronda completa em todo o complexo na companhia da reportagem do site.

Se há cerca de cinco anos atrás o aeroporto vilhenense estava sob risco de intervenção e haviam sido apontadas 172 irregularidades em contrariedade das normas da ANAC, hoje tais restrições não passam de sete, e mesmo assim não interferem no funcionamento do sistema no nível operacional atual. “Mas, estamos trabalhando no sentido de atender tais exigências, já pensando num futuro em que pousos e decolagens de aviões a jato de grande porte se tornem rotina na cidade”, explicou.

A estrutura de segurança incorpora diversos elementos, envolvendo tanto a administração do aeroporto como a INFRAERO e a própria Base Aérea. Ela é dotada de estruturas monitoram tudo o que acontece no terminal e ao seu redor, das condições atmosféricas, até mesmo vistoria detalhada em objetos portados por usuários. “Tudo isso para impedir que incidentes aconteçam dentro e fora das aeronaves, pois qualquer quebra de segurança implica em correr risco de restrições de operação”, afirma Manuel.  E a coisa não para por aí, pois também é preciso ficar atento para ocorrências que envolvem animais, que em determinados períodos do ano costumam invadir as dependências do sistema.

Apesar dos esforços do administrador e dos demais profissionais que trabalham no aeroporto, eventualmente ocorrem incidentes causados por vândalos ou desocupados. Os atentados contra o sistema de iluminação responsável pelo balizamento da pista, comuns no passado, ainda aconteceram este ano. “Graças a adoção de rondas aleatórias ao redor da pista conseguimos identificar o responsável, que já está respondendo inquérito na Polícia Federal. Se denunciado a Justiça, o vândalo poderá pegar pena muito dura, pois está sob risco de ser indiciado por atentado contra a aviação civil, crime grave. Outra situação que ainda ocorre é o uso de canetas-laser para atrapalhar o piloto em procedimentos de pousos ou decolagens. “Temos três episódios do gênero sendo averiguados”, disse Manuel.

Operando com média de 15 procedimentos por dia, o Aeroporto Brigadeiro Camarão hoje pode ser considerado um dos mais seguros e funcionais de toda a região norte, o que cria expectativa positiva para ampliações e incremento das atividades no futuro.

manoel

bombeiro no aeroporto

20131205_154105

20131205_154122

Fonte – Extra de Rondônia

Texto – Da redação

Fotos – Extra de Rondônia

dengue 728×90

COMUNICADO: Atenção caros internautas: recomenda-se critérios nas postagens de comentários abaixo, uma vez que seu autor poderá ser responsabilizado judicialmente caso denigra a imagem de terceiros. O aviso serve em especial aos que utilizam ferramentas de postagens ocultas ou falsas, pois podem ser facilmente identificadas pelo rastreamento do IP da máquina de origem, como já ocorreu.

A DIREÇÃO