Estamos em guerra governo 728×90  – ALE celular 300×250
Estamos em guerra 468×60

 

ca935c592975e26441fec1b1d5ecdafcO policial militar Osmar Júnior (30), do 1º BPM, conhecido entre os seus colegas como “Júnior Cabeção”, morreu na manhã desta quinta-feira (19) na UTI do Hospital de Base em Porto Velho, onde estava internado em estado gravíssimo, se convalescendo de uma cirurgia na cabeça depois de sofrer um atentado a bala no portão de sua casa, na ultima terça-feira (17).

O estado de Osmar era muito delicado e de acordo com informações de amigos, por causa do dano causado pela bala houve perda de parte da massa encefálica.

O policial foi baleado quando chegava em sua casa na noite de terça-feira. Dois homens em uma motocicleta de cor preta o abordaram e dispararam contra ele, buas balas o acertaram, uma atingiu a cabeça e outra a perna. Osmar chegou a ferir um dos bandidos, que fugiram do local.

Osmar Júnior era um dos policiais militares que estava em uma lista divulgada em um depoimento feito por um detento do presídio José Mário Alves, o “Urso Branco”, onde segundo ele estava marcado para morrer por uma facção criminosa. Além de PMs, agentes penitenciários também estão descritos na lista. O nome de Osmar era o primeiro.

O presidente da Assfapom, Jesuíno Boabaid, em entrevista ontem ao Rondoniaovivo disse já ter havido entrado com petições na Justiça pedindo melhores condições de serviços e segurança aos policiais militares em Rondônia. Ele ressaltou o alto índice de violência e a falta de condições para os policiais trabalharem com mais segurança, sendo que tanto a Secretaria de Segurança do Estado quanto o governo não tomaram nenhuma providência em relação a lista que foi denunciada e pede atenção especial ao caso.

 

Fonte: Rondôniaovivo

estamos em guerra 728×90 2
covid 468×60

COMUNICADO: Atenção caros internautas: recomenda-se critérios nas postagens de comentários abaixo, uma vez que seu autor poderá ser responsabilizado judicialmente caso denigra a imagem de terceiros. O aviso serve em especial aos que utilizam ferramentas de postagens ocultas ou falsas, pois podem ser facilmente identificadas pelo rastreamento do IP da máquina de origem, como já ocorreu.

A DIREÇÃO