Estamos em guerra governo 728×90  – ALE celular 300×250
Mosquito transmissor da malária
Mosquito transmissor da malária
Estamos em guerra 468×60

Caiu em pelo menos 35% o número casos de malária em 2013, em relação ao mesmo período do ano anterior. Os dados constam em levantamento realizado pela Agência Estadual de Vigilância Sanitária (Agevisa).

De acordo com dados da Agevisa, de janeiro a março de 2013, 3.111 casos de malária foram confirmados no Estado, totalizando 35% menos doentes contra 4.796 casos de 2012. Estado passa a ser área de médio risco, melhor avaliação da história

Segundo o coordenador do programa de combate à malária em Rondônia, Roberto Nakaoka, no Brasil, os graus de risco para adoecer de malária são classificados de acordo com a Incidência Parasitária Anual (IPA), que expressa o número de exames positivos de malária por mil habitantes, em determinado lugar no período de um ano.

As áreas são classificadas como de alto risco têm IPA maior ou igual a 50 casos por mil habitantes, de médio risco IPA entre 10 e 49. Já o baixo risco tem IPA de 10.

Os municípios que registraram maior número de casos, em 2012, foram Porto Velho (13.858), Candeias do Jamari (2.384) e Machadinho do Oeste (1.203). “Rondônia saiu de uma situação de alto risco, com IPA de 62,7 em 2006, para uma situação de médio risco em 2012, com IPA de 15,2”, afirmou o coordenador. Nakaoka disse ainda, que em 2012 o único município em Rondônia na categoria de alto risco era Candeias do Jamari, com IPA de 139,8.

 

Texto e Foto: Assessoria

estamos em guerra 728×90 2
covid 468×60

COMUNICADO: Atenção caros internautas: recomenda-se critérios nas postagens de comentários abaixo, uma vez que seu autor poderá ser responsabilizado judicialmente caso denigra a imagem de terceiros. O aviso serve em especial aos que utilizam ferramentas de postagens ocultas ou falsas, pois podem ser facilmente identificadas pelo rastreamento do IP da máquina de origem, como já ocorreu.

A DIREÇÃO