Estamos em guerra governo 728×90  – ALE celular 300×250
Estamos em guerra 468×60

 

pedrovieira-detidoO ex-namorado de uma jovem brasileira assassinada em Braga em Outubro de 2013 foi detido ontem pela Polícia Judiciária, por suspeitas de autoria do homicídio. Mayara Maldonado desapareceu de Braga no dia 11 de Outubro de 2013, tendo o seu cadáver encontrado a 11 de Janeiro, numa serração abandonada, em Santa Lucrécia de Algeriz, situada a menos de um quilômetro da residência do ex-namorado, com o corpo num adiantado estado de decomposição, apresentando-se atados as mãos e os pés.

Pedro Vieira, de 20 anos, solteiro, empregado de um stande de automóveis, natural e residente na freguesia de Santa Lucrécia de Algeriz, em Braga, deverá ser apresentado hoje à tarde ao juiz de instrução criminal de Braga, António Luís Fernandes. Coforme apurado, o suspeito, em declarações prestadas esta manhã à Polícia Judiciária de Braga, negou ter assassinado Mayara Maldonado.

O jovem detido ontem pela Brigada de Homicídios da Polícia Judiciária de Braga, tinha sido ouvido já como testemunha sobre o desaparecimento da antiga namorada, mas na ocasião negou qualquer envolvimento no caso.

Entretanto, tudo indica tratar-se de um homicídio com motivações passionais, já que em causa estarão, alegadamente, ciúmes de Pedro Vieira, em relação a um novo namorado de Mayara, um jovem de nome Fábio Lúcio, residente em Canidelo, Vila Nova de Gaia.

Pedro Vieira já era suspeito por ter agredido a vítima, Mayara Maldonado, em Maio de 2013, tendo-lhe quebrao seu celular. Segundo as informações policiais recolhidas hoje pelo SOL, no dia do desaparecimento de Mayara, Pedro Vieira foi visto com Mayara, na residência daquela jovem, onde teria ido com o pretexto de entregar-lhe um novo celular.

Mayara Maldonado, de 20 anos, brasileira, estava desaparecida desde 11 de Outubro de 2013, da cidade dos arcebispos, onde estudava na Escola Profissional de Braga, mas dedicava-se também ao alterne (atividade realizada por mulher contratada para fazer companhia aos clientes e estimular as suas despesas de consumo) num clube noturno situado em Ribeirão (Vila Nova de Famalicão), após ter estado em mais duas casas do gênero, uma também em Ribeirão e a outra em Palmeira (Braga).

A mãe, Alessandra Garcia Maldonado, ausentou-se de Portugal há dois anos, voltando para o Brasil, mas Mayara ficou em Braga a viver num apartamento, na zona do Feira Nova, para estudar na Escola Profissional de Braga e depois na Universidade do Minho.

Sexta-feira à tarde foi celebrada uma missa na Catedral de Braga, em memória de Mayara Maldonado, enquanto a mãe e o padrasto, Elias Lino, estão a recolher donativos através das redes sociais, a fim de cremar e depois transladar o cadáver para o Brasil. Há duas contas bancárias para esse efeito, uma em Portugal e a outra no Brasil, segundo referiram ao SOL os familiares da vítima, natural de Ji-Paraná, no Estado de Rondônia.

Fonte: Vip Notícias/Joaquim Gomes / SOL

 

 

 

estamos em guerra 728×90 2
covid 468×60

COMUNICADO: Atenção caros internautas: recomenda-se critérios nas postagens de comentários abaixo, uma vez que seu autor poderá ser responsabilizado judicialmente caso denigra a imagem de terceiros. O aviso serve em especial aos que utilizam ferramentas de postagens ocultas ou falsas, pois podem ser facilmente identificadas pelo rastreamento do IP da máquina de origem, como já ocorreu.

A DIREÇÃO