dengue 728×90 – 2

SIRENE POLICIAOs diretores do Sindicato Servidores da Policia Civil do Estado de Rondônia (Sinsepol), juntamente como os dirigentes do Sindepro e do Sinpec, estiveram reunidos na tarde de segunda-feira, 17, com secretários que integram a Mesa de Negociação do Governo do Estado  (Menp), para tratar da pauta de reivindicação da categoria.

Porém, de acordo com o presidente do Sinsepol, Jales Moreira, o governo não trouxe nenhuma proposta para que a categoria pudesse analisar, deixando muito claro que não há nada além de muita enrolação e de protelação, o que demonstra, também, o desprezo da administração estadual pela Polícia Civil.

“Já tínhamos uma ideia de como seria esta reunião. O governo, além de não apresentar nenhuma proposta com relação ao PCCR da categoria, sinalizou que não pretende cumprir acordos firmados. Afirmou que para este ano de 2014, será aplicada a correção de 5.87 %, no mês de abril. Não obstante, no ano passado, tenha se comprometido perante o Tribunal de Justiça de Rondônia que além desse percentual faria a correção das perdas salariais do ano de 2013, de 6%, que seriam divididos em três parcelas a serem pagas nos meses de outubro, novembro e dezembro”, disse o representante da categoria.

O resultado da reunião entre os sindicalistas e a Menp foi levado ao conhecimento dos policiais, que lotaram o local da assembleia, e por unanimidade a categoria decidiu não aceitar a inércia governamental e deflagrar a “Operação Cumpra-se a Lei”, bem como indicativo de greve, que já foi oficiado ao Executivo Estadual.

“A operação se firma nos preceitos legais e tem o condão de sensibilizar o Governo para que reconheça as dificuldades enfrentadas pela Polícia Civil de Rondônia e para que a sociedade valorize o trabalho desenvolvido pelo policial civil”, finalizou Jales Moreira, presidente do Sinsepol/RO.
Texto e Foto: Assessoria

dengue 728×90

COMUNICADO: Atenção caros internautas: recomenda-se critérios nas postagens de comentários abaixo, uma vez que seu autor poderá ser responsabilizado judicialmente caso denigra a imagem de terceiros. O aviso serve em especial aos que utilizam ferramentas de postagens ocultas ou falsas, pois podem ser facilmente identificadas pelo rastreamento do IP da máquina de origem, como já ocorreu.

A DIREÇÃO