Estamos em guerra governo 728×90  – ALE celular 300×250
Estamos em guerra 468×60

DSC_0242O titular da Secretaria Estadual de Educação (Seduc) de Rondônia, Emerson Castro, esteve em Vilhena na manhã desta quinta-feira, 20, visitando as escolas da rede estadual de ensino para conferir de perto as ações desenvolvidas nas entidades educacionais, bem como para saber as necessidades de cada escola para melhorar o atendimento aos alunos, e consequentemente à comunidade.

Uma equipe de reportagem do Extra de Rondônia acompanhou o secretário durante a visita ao Instituto Wilson Camargo, onde foi recebido pela diretora Maria da Penha Batista (a Thaty) e por toda sua equipe gestora, foi quando ele anunciou que o Tribunal de Contas do Estado de Rondônia autorizou a compra dos novos equipamentos de segurança que serão substituídos pelos vigias que prestavam serviços ao estado.

Emerson Castro explicou que os investimentos para o projeto são de R$ 5, 7 milhões, e que o recurso já foi repassado para as escolas, que por sua vez irão iniciar as compras. De acordo com o secretário de educação este valor é um investimento que trará ao estado economia e ao mesmo tempo melhores resultados. “Um vigia não consegue monitorar uma escola inteira ao mesmo tempo como as câmeras de segurança”, explica Castro, que acrescenta: “Os vigilantes custavam aos cofres públicos R$ 56 milhões por ano. Com o monitoramento teremos eficiência na guarda patrimonial, pois teremos maior poder de vigilância de todo o território escolar”, disse.

O secretário de educação esteve acompanhado do secretário executivo regional do Cone Sul, Ronaldo Alevato, bem como por representantes da educação local.

Fonte: Extra de Rondônia

Texto: Rômulo Azevedo

Foto: Rômulo Azevedo

estamos em guerra 728×90 2
covid 468×60

COMUNICADO: Atenção caros internautas: recomenda-se critérios nas postagens de comentários abaixo, uma vez que seu autor poderá ser responsabilizado judicialmente caso denigra a imagem de terceiros. O aviso serve em especial aos que utilizam ferramentas de postagens ocultas ou falsas, pois podem ser facilmente identificadas pelo rastreamento do IP da máquina de origem, como já ocorreu.

A DIREÇÃO