Queimada 728×90
Em visita à redação, Wilmar José Cardoso, o “Bagunça”, disse que Truckauto e a administração corumbiarense lesaram os cofres públicos em quase R$ 200 mil
Em visita à redação, Wilmar José Cardoso, o “Bagunça”, disse que Truckauto e a administração corumbiarense lesaram os cofres públicos em quase R$ 200 mil

A história gira em torno da contratação da empresa para reforma de dois tratores de pneu da marca New Holland, ocorrida em fevereiro do ano passado. Segundo o que o vereador apurou, o serviço ficaria em torno de R$ 180 mil, e as máquinas foram mandadas a Vilhena para a realização do conserto.

Não se sabe exatamente o motivo, mas o fato é que a Truckauto terceirizou o trabalho para a Tratoron, outra empresa do ramo de máquinas pesadas, representante da New Holland na cidade.

A reportagem do Extra de Rondônia, acompanhada pelo vereador, esteve nesta firma, onde o funcionário André Felipe informou que a missão da empresa era desmontar, produzir orçamento e trocar peças defeituosas. No entanto, o trabalho não passou da primeira fase, pois não houve o pagamento do valor acordado com a Truckauto.

Depois de cerca de seis meses com os dois tratores no pátio, foi solicitada a retirada da maquinaria das dependências da empresa e desfeito o acordo. O fato ocorreu há mais ou menos 40 dias, apesar de algumas partes dos tratores, como as capotas, por exemplo, terem ficado ali mesmo.

De lá os tratores foram levados a um barracão na Avenida Celso Mazutti, onde antigamente funcionava a empresa Terrarada, próximo a Rical. E lá estão até agora, conforme confirmou Eri Valença, dono do barracão, que conversou por telefone com a reportagem do Extra de Rondônia na tarde da quinta-feira 20. Na entrevista ele disse que os tratores foram levados a ele para novo orçamento, mas como estão faltando peças isso não aconteceu até agora. Além disso, o prédio de sua empresa está em reforma. Um fato curioso da conversa foi a afirmação de Valença garantindo que o primeiro orçamento realizado para o trabalho estava totalmente fora da realidade. “Hoje, um ano depois, eu posso fazer o serviço por cerca de 40% a menos do que o valor apresentado naquela época”.

Na Truckauto, o Extra de Rondônia e o vereador Bagunça não conseguiram nenhuma informação sobre o caso. Aliás, o funcionário que atendeu sequer se dignou a levantar a cabeça para olhar no rosto do repórter e do vereador, e a única coisa foi que o dono da firma estava fora da cidade, e apenas ele poderia informar alguma coisa. E terá mesmo que fazer isso, posto que está oficiado desde o dia 06 de fevereiro para apresentar explicações sobre o episódio, a começar pelo orçamento apresentado. O caso também foi registrado na Delegacia de Polícia Civil de Vilhena ontem (quinta-feira 21), graças a orientação do Ministério Público, que também já está ciente do assunto. Mesmo assim, o site disponibiliza espaço para eventuais esclarecimentos.

O vereador registrou denúncia na Delegacia de Polícia Civil de Vilhena
O vereador registrou denúncia na Delegacia de Polícia Civil de Vilhena
"Bagunça" direcionou ofício à empresa pedindo explicações
“Bagunça” direcionou ofício à empresa pedindo explicações
Responsáveis pela empresa não quiseram se manifestar a respeito da denúncia
Responsáveis pela empresa não se manifestaram a respeito da denúncia

Fonte – Extra de Rondônia

Texto – Da Redação

Fotos – Mario Quevedo e Carlos Franco

saude 468×60

COMUNICADO: Atenção caros internautas: recomenda-se critérios nas postagens de comentários abaixo, uma vez que seu autor poderá ser responsabilizado judicialmente caso denigra a imagem de terceiros. O aviso serve em especial aos que utilizam ferramentas de postagens ocultas ou falsas, pois podem ser facilmente identificadas pelo rastreamento do IP da máquina de origem, como já ocorreu.

A DIREÇÃO