Estamos em guerra governo 728×90  – ALE celular 300×250
Estamos em guerra 468×60

 

A mãe Elizabeth Kruger com a filha Cristhielem Kruger (Foto: Arquivo pessoal)
A mãe Elizabeth Kruger com a filha Cristhielem Kruger
(Foto: Arquivo pessoal)

A mãe de Cristhielem Kruger Pomin, de 26 anos, recebeu nesta quinta-feira (27) via Correios, uma carta escrita pela própria filha dando maiores detalhes sobre sua prisão por tráfico de drogas no aeroporto de Istambul na Turquia.

De acordo com Elizabeth Kruger, moradora do município de Cerejeiras., a carta foi escrita no dia 13 de fevereiro e o endereço de correspondência usado como remetente é de um presídio na capital turca. No texto, Cristhielem disse à mãe que está sendo bem tratada pelas autoridades, mas ainda não sabe quando poderá voltar para casa.

“Ela disse que está bem na medida do possível. A carta me deixou um pouco feliz, pois só em saber que ela está bem já me conforta”, relata. Na carta, de acordo com a mãe, Cristhielem disse estar presa num local com mais cinco mulheres brasileiras. Além de camas, na cela onde a estudante está detida possui televisão e frigobar. Uma vez por semana as detentas podem ir a uma cantina para comprar alimentos.

Em entrevista ao G1, Elizabeth disse que a filha não detalhou os motivos pela qual se envolveu com o tráfico internacional. “Ela só escreveu falando que vai me contar isso no dia em que nos encontrarmos pessoalmente e que eu vou entender a situação”, relata. A jovem de Rondônia que estudava medicina na Bolívia desapareceu no início de fevereiro e desde então a família buscava por informações. No último final de semana o Consulado do Brasil na Bolívia informou à família sobre a prisão da jovem na Turquia.

De acordo com a mãe, a frase mais marcante da carta é quando a jovem fala da saudade que está tendo de casa. “Ela disse que sempre me amou, mas agora tem ainda mais certeza disto. Na mensagem ela diz estar com saudades de mim e da irmã dela”, afirma. Para Elizabeth, Cristhielem contou ter tido sorte em ser presa na Turquia, pois se fosse presa por tráfico no Egito, por exemplo, poderia ser apedrejada em praça pública até a morte.

A mãe da jovem deve responder a carta da filha ainda nesta quarta-feira. Segundo Elizabeth, ao conseguir maiores informações de endereços na Turquia, ela pretende embarcar ao país para visitar a filha. “Quero fazer isto o mais rápido possível”, relata. A família de Cristhielem, conforme solicitado pelo Consulado Geral do Brasil em Istambul, encaminhou um e-mail com a documentação da mãe da jovem e agora aguardam retorno do setor Consular para orientações.

Fonte: G1

estamos em guerra 728×90 2
covid 468×60

COMUNICADO: Atenção caros internautas: recomenda-se critérios nas postagens de comentários abaixo, uma vez que seu autor poderá ser responsabilizado judicialmente caso denigra a imagem de terceiros. O aviso serve em especial aos que utilizam ferramentas de postagens ocultas ou falsas, pois podem ser facilmente identificadas pelo rastreamento do IP da máquina de origem, como já ocorreu.

A DIREÇÃO