dengue 728×90 – 2

os vipsO deputado federal Rubens Moreira Mendes, presidente regional do PSD em Rondônia, brincou o carnaval no sambódromo da Marquês de Sapucaí, no Rio de Janeiro, acompanhando o diretor da empresa Energia Sustentável do Brasil (construtora da Usina Hidrelétrica de Jirau, no Rio Madeira), José Lúcio Arruda. A usina é apontada como uma das responsáveis pelo agravamento das alagações provocadas pelo rio Madeira na capital.

Em Porto Velho, que já possui pelo menos 16 bairros alagados pela enchente do Rio Madeira, o carnaval foi proibido pelo prefeito Mauro Nazif (PSB) sob a alegação de que se houvesse o desfile de blocos como o “Galo da Meia Noite” e “Banda do Vai Quem Quer”, além das escolas de samba, o Governo Federal não reconheceria o estado de calamidade pública decretado por Nazif, impedindo, assim, a vinda de milhões de reais para os cofres da Prefeitura. Até hoje a União não reconheceu o decreto.

Órgãos como os ministérios públicos Estadual e Federal culpam as usinas pelo agravamento da cheia do rio Madeira, mas políticos como Moreira Mendes defendem os empreendimentos. O parlamentar chegou a utilizar a tribuna da Câmara Federal para afirmar que as usinas não têm nada a ver com as alagações.

Além de Moreira Mendes, o senador Jorge Viana, do Acre (outro estado arrasado pelas enchentes), também estava no sambódromo acompanhando o diretor da Energia Sustentável do Brasil.

Várias fotos do deputado rondoniense no desfile da escola de samba carioca Vila Isabel chegaram a ser postadas no Facebook, mas, depois da repercussão negativa,  foram deletadas.

 

Texto e Foto: Tudorondonia / Agência Vanguarda

dengue 728×90

COMUNICADO: Atenção caros internautas: recomenda-se critérios nas postagens de comentários abaixo, uma vez que seu autor poderá ser responsabilizado judicialmente caso denigra a imagem de terceiros. O aviso serve em especial aos que utilizam ferramentas de postagens ocultas ou falsas, pois podem ser facilmente identificadas pelo rastreamento do IP da máquina de origem, como já ocorreu.

A DIREÇÃO