dengue 728×90 – 2
Rafael Albuquerque enviou cópias ao Cremero e Semusa para providências
Rafael Albuquerque enviou cópias ao Cremero e Semusa para providências

O médico oftalmologista Rafael Albuquerque, visitou a redação do Extra de Rondônia na manhã desta terça-feira, 18, para comunicar que poderá deixar de atender pacientes na policlínica João Luiz, localizada no centro da cidade de Vilhena. O motivo: falta de condições de trabalho.

Segundo Albuquerque, o posto de saúde não dispõe as mínimas condições para o exercício ético da profissão. O caso já teria sido informado, em janeiro de 2013, à secretaria municipal de saúde (Semusa), que não tomou providências. O médico disse ainda que também denunciou a situação ao Conselho Regional de Medicina do Estado de Rondônia (Cremero), em novembro de 2013, mas que até agora não obteve nenhuma resposta. “Nunca recebi nenhuma boa notícia da Semusa. Aparentemente, as autoridades não estão interessadas em resolver a questão”, desabafou o profissional de saúde.

Há 10 anos no serviço público vilhenense, Albuquerque decidiu levar o caso à tona após matéria de uma professora relatando sua insatisfação com o atendimento no referido posto de saúde. A matéria foi publicada no Extra de Rondônia, nesta segunda-feira, 17.  “Tenho respaldo jurídico para alertar à população da real situação do posto de saúde. Se não posso atender, é porque não há condições mínimas para a execução das atividades oftalmológicas. Enviarei cópias da minha decisão ao Cremero e à Semusa”, frisou o médico.

 

me 1

me 2

me 3

Texto: Extra de Rondônia

Foto: Extra de Rondônia

dengue 728×90

COMUNICADO: Atenção caros internautas: recomenda-se critérios nas postagens de comentários abaixo, uma vez que seu autor poderá ser responsabilizado judicialmente caso denigra a imagem de terceiros. O aviso serve em especial aos que utilizam ferramentas de postagens ocultas ou falsas, pois podem ser facilmente identificadas pelo rastreamento do IP da máquina de origem, como já ocorreu.

A DIREÇÃO