Roberto Pinto, segundo a acusação, não aceita ter perdido contrato com a Marfrig
Roberto Pinto, segundo a acusação, não aceita ter perdido contrato com a Marfrig

E parece que ameaça de morte virou moda no pacato município de Chupinguaia. Depois do vereador Valmir Passito (PMDB) denunciar de estar recebendo ameaças, caso este divulgado pelo Extra de Rondônia, agora é a vez do empresário Pedro Alves Neto, acusar o Presidente da Câmara de Vereadores, Roberto Ferreira Pinto, de tê-lo ameaçado.

A denúncia de Pedro contra Roberto foi registrada na Delegacia de Polícia Civil. No Boletim de Ocorrência (BO) 4724140177, registrado no último dia 22, o empresário relatou que as ameaças ocorrem há quase quatro anos. Segundo ele, o vereador não aceita ter perdido o contrato de prestação de serviço perante o Frigorífico Marfrig (que é a de transporte de gado) antes administrado pelo parlamentar.

Alegou que o contrato foi firmado com a Raj-Transporte desde agosto de 2010, na qual ele é gerente administrativo. As ameaças estariam ocorrendo logo após essa data. O vereador, segundo a denúncia, teria ameaçado o empresário, dizendo que “iria dar um tiro em sua cara”.

À polícia, no momento de lavrado o BO, Pedro disse que, na semana passada, Roberto Pinto teria tentando denegrir sua imagem perante a Marfrig, com comentários infundados a seu respeito.

Na noite de sexta-feira, 21, por volta das 20h30, o empresário contou que se encontrava no posto “Ribeiro”, juntamente com Patrick José da Silva, filho do ex-prefeito Ataíde da Silva, momento em que Roberto Pinto passou várias vezes pelo local, olhando para ele, com a intenção de intimidá-lo. Nervoso, Pedro resolveu ligar para o vereador e perguntar-lhe a respeito das ofensas. Na ocasião, Roberto Pinto teria lhe dito: “Não vou falar com vagabundo”, e frisou que “não sabe mais o que fazer para ter paz e que somente queria trabalhar em paz, tendo em vista que sua única fonte de renda é a de vereador, e que recebe dois salários, por também ser presidente da Câmara”.

O OUTRO LADO

Roberto Pinto também registrou denúncia de ameaça de morte contra Pedro Alves Neto. Segundo ele, o empresário teria lhe proferido palavras ofensivas durante uma ligação telefônica, dizendo que: “Você não passa de um filho da puta. Me fale onde você tá que vou aí. Você não me conhece”. Ainda, Roberto Pinto acredita que as ameaças sejam devido ao contrato de prestação de serviço com a Marfrig, contrato este que lhe pertencia e hoje estpa sob responsabilidade de Pedro.

 

Texto: Extra de Rondônia

Foto: Extra de Rondônia


COMUNICADO: Atenção caros internautas: recomenda-se critérios nas postagens de comentários abaixo, uma vez que seu autor poderá ser responsabilizado judicialmente caso denigra a imagem de terceiros. O aviso serve em especial aos que utilizam ferramentas de postagens ocultas ou falsas, pois podem ser facilmente identificadas pelo rastreamento do IP da máquina de origem, como já ocorreu.

A DIREÇÃO