Estamos em guerra governo 728×90  – ALE celular 300×250
Estamos em guerra 468×60

cassol novoEleito com a promessa de chegar em Brasília e “chutar o pau da barraca”, o senador Ivo Cassol (PP), ao contrário do que prometeu, acabou sendo apenas mais um.

E a situação piorou quando ele foi condenado pelo Supremo Tribunal Federal (STF), que publicou na última sexta-feira, 23, o Acórdão da Ação Penal 565, que condenou o senador a 4 anos, 8 meses e 26 dias de prisão, no regime semiaberto, além do pagamento de multa no valor de  R$ 201.817,05.

A sentença também determina a perda do mandato parlamentar por quebra de decoro, conforma estabelece o páragrafo 2º, do inciso VI do artigo 55 da Constituição Federal.

Com a publicação, o senador tem um prazo de 5 dias para apresentar embargos, e segundo advogados ouvidos pela reportagem da coluna informativa “Painel Político”, de Porto Velho, existem duas possibilidades:  a de serem julgados procedentes e uma nova análise do caso ser feita ou a relatora, ministra Cármen Lúcia considerar os embargos “meramente protelatórios” e determinar o imediato comprimento da sentença.

A assessoria do senador informou que ele já estava ciente da publicação desde a última sexta-feira e que nesta segunda reuniu-se com advogados para preparar o texto de sua defesa. Eles esperam protocolar os embargos até esta quinta-feira, 29.

Caso o senador venha de fato perder o mandato, quem assume é a ex-senadora Fátima Cleide, do PT, que foi a terceira colocada para a vaga do Senado Federal nas eleições de 2010.

 

Texto: Extra de Rondônia

Informações: Painel Político e Rondonotícias

Foto: Divulgação

estamos em guerra 728×90 2
covid 468×60

COMUNICADO: Atenção caros internautas: recomenda-se critérios nas postagens de comentários abaixo, uma vez que seu autor poderá ser responsabilizado judicialmente caso denigra a imagem de terceiros. O aviso serve em especial aos que utilizam ferramentas de postagens ocultas ou falsas, pois podem ser facilmente identificadas pelo rastreamento do IP da máquina de origem, como já ocorreu.

A DIREÇÃO