dengue 728×90 – 2
Sala da PM na Delegacia da Polícia Civil de Vilhena
Sala da PM na Delegacia da Polícia Civil de Vilhena

### Chegou ao conhecimento do Extra de Rondônia que os policiais militares do município de Vilhena voltaram à era das cavernas. Sem impressora há três dias os militares estão lavrando os Boletins de Ocorrência (BO) à caneta. O equipamento é de suma importância para uso dos policiais, pois agiliza os trabalhos de preenchimento das ocorrências.

### Ainda bem que foi a impressora que quebrou. Dos males o menor. Imagina se fossem as armas do batalhão. Os PMs iriam pra rua armados com estilingues. A demora na substituição de equipamentos de relevância para o bom desempenho de um trabalho atrapalha todo o cotidiano de uma corporação, seja ela pública ou privada, além de desestimular os profissionais que desempenham suas funções.

### Agora imagine: o policial já “paga pra trabalhar”, o soldo é pouco, o risco iminente e constante e em plena era da informação tem que registrar BO “no braço”. É tenso.

### A alternativa encontrada pela diretoria do batalhão foi mendigar impressoras por aí. E deu certo. Conseguiram um aparelho emprestado. Alguém se compadeceu.

### Veja a disparidade. O município conta com câmeras de monitoramento de última geração. O governo mandou um monte de viatura nova pro batalhão. As lentes flagram “o mala”, os militares vão atrás do sujeito e conseguem prendê-lo porque a viatura é nova, o motor ainda “tá filé”, ela anda bem e a perseguição deu certo. Ao levar o “meliante” pra delegacia têm que perder tempo escrevendo o BO à caneta. Se o sujeito preso for daqueles engraçadinhos, os PMs terão que ouvir piadinhas.

### Dá até pra imaginar algumas. Vamos lá: “pô, sinhô! Toda aquela correria pra demorar no final!” Ou melhor: “Ei sinhô, se os ‘pulicia’ da Civil não ‘intendê’ sua letra eu tô liberado?”. Sacanagem com os policiais, “coroné”.

### Os policiais militares de Vilhena são referência no estado e região pelo bom trabalho que desempenham. Se recebessem um pouquinho mais atenção, tendo reinvindicações atendidas, e recebendo equipamentos à altura, com certeza a prestação do serviço seria ainda melhor.

### O secretário de esportes Wellinton Fereira Oliveira, o Pig, como é conhecido, teve que amargar umas vaias na última sessão ordinária na Câmara de Vereadores, na manhã desta terça-feira, 10, quando tentou enaltecer a imagem do prefeito Zé Rover.

### Com o auditório cheio de servidores insatisfeitos com o prefeito, e jovens atletas da AVV (vale lembrar que adolescentes gostam de um “barulhinho”), o secretário usou o microfone para parabenizar os gestores da entidade que recebiam moção de aplausos. Ao mencionar o nome do prefeito a vaia foi inevitável.

### Ele ainda tentou retrucar, mas o enfermeiro Caio (um dos críticos mais ferrenhos da administração Rover) emendou as vaias escalando problemas que a saúde vem enfrentando. O jeito foi ficar quieto, e continuar com os elogios à AVV.

### O Jornalista Hernan Lagos (conhecido também como Nano, dono de um site de notícias em Vilhena) foi questionado pelo presidente da Câmara de Vereadores, Vanderlei Graebin (SDD) sobre a publicação de uma matéria. Ele – Graebin – disse ao repórter que havia ido à sua redação, que ele havia feito fotos do vereador e tudo mais, e a matéria não fora veiculada.

### Hernan Lagos então retrucou: “Presidente, eu não sei do que o senhor está falando”. E Graebin: “Pô, Esteban (que é editor chefe do Extra de Rondônia) sacanagem cara. Cadê a matéria?” Detalhe:  Hernan e Esteban Vera são primos e muito amigos. A semelhança entre ambos é pouco nítida. O jeito, segundo Nano, foi levar a pequena confusão na brincadeira.

 

Fonte: Extra de Rondônia

Texto e fotos: Extra de Rondônia

dengue 728×90