Estamos em guerra governo 728×90  – ALE celular 300×250
Estamos em guerra 468×60

h1 n1 2Uma criança indígena de quatro anos morreu na última segunda-feira, 16, no hospital regional do município de Cacoal (que fica localizado na região central do estado, cerca de 210 km de Vilhena) vítima de H1N1. A Secretaria Municipal de Saúde daquele município informou que a criança pertence a uma aldeia do município vizinho de Espigão do Oeste. Em Cacoal há suspeita de 16 casos da doença. Amostras já foram coletadas dos pacientes, e estão em análise no Laboratório Central de Saúde de Rondônia (Lacen) que fica na capital, Porto Velho.

Em Vilhena 30 casos ainda são considerados suspeitos, pois aguardam resultado dos exames produzidos pelo Lacen. Quatro casos no município já foram confirmados, e três mortes por conta da doença. A Secretaria Municipal de Saúde de Vilhena (Semusa) descartou a possibilidade de um surto, com a tentativa de não gerar pânico na população. Assim como aconteceu no Cone Sul, os profissionais de saúde em Cacoal pediram à população para lavar constantemente as mãos, para evitar contaminação.

Durante a passagem da Agência Estadual de Vigilância Sanitária (AGEVISA) por Vilhena, os profissionais do órgão alertaram que para cada caso confirmado de H1N1, pelo menos 20 pessoas que tiveram contato com o doente já estão na lista de possíveis infectados.

 

Fonte: Extra de Rondônia

Texto: Da Redação

Foto: Ilustração

estamos em guerra 728×90 2
covid 468×60

COMUNICADO: Atenção caros internautas: recomenda-se critérios nas postagens de comentários abaixo, uma vez que seu autor poderá ser responsabilizado judicialmente caso denigra a imagem de terceiros. O aviso serve em especial aos que utilizam ferramentas de postagens ocultas ou falsas, pois podem ser facilmente identificadas pelo rastreamento do IP da máquina de origem, como já ocorreu.

A DIREÇÃO