Cova onde a vítima foi sepultada como indigente
Cova onde a vítima foi sepultada como indigente

Na manhã desta quinta-feira, 23, a redação do Extra de Rondônia, recebeu várias ligações de populares, onde relataram que um corpo estava numa cova com pouca terra por cima. Com isso, exalava forte cheiro, que incomodava as pessoas que estavam no cemitério e até a vizinhança.

A reportagem da página eletrônica, foi até ao local e em contato com o administrador do cemitério Pedro Rocha, ele relatou o motivo que o corpo estava sem sepultar.

Segundo Pedro, o corpo em questão é do homem que foi assassinado dia 18 de outubro, na Avenida 1711, no bairro Jardim Primavera, com nove facadas e uma paulada na cabeça, como a vítima não portava nenhum tipo de documentos que o identificasse, foi preciso colocá-lo numa urna e cobrir com pouca terra, até que o perito da Polícia Civil concluísse o trabalho para identifica-lo através das impressões digitais.

Esse é motivo da demora para a expedição da documentação do sepultamento. Mesmo com todos os esforços do perito, a vítima não foi identificada, sendo enterrado na manhã desta quinta-feira, 23, por volta das 11h00 como indigente.

Documento necessário para o sepultamento da vítima, que foi enterrado como indigente
Documento necessário para o sepultamento da vítima, que foi enterrado como indigente

Texto: Extra de Rondônia

Fotos: Extra de Rondônia

 

sicoob credisul
vacina 728×90