Lucilene diz que precisa R$120 para custear as despesas de Ji-Paraná a Vilhena
Lucilene diz que precisa R$120 para custear as despesas de Ji-Paraná a Vilhena

A vilhenense Lucilene Cruzeiro, de 38 anos, que está fazendo tratamento de esclerose sistêmica em Campo Grande (MS), entrou em contato com o Extra de Rondônia, na manhã desta quarta-feira, 10, para expor o drama que tem enfrentado e pedir ajuda.

Lucilene disse que, pelo fato de Rondônia não oferecer tratamento para seu problema de saúde, teve que ir para Campo Grande (MS), com a ajuda do sistema de Tratamento Fora do Domicílio (TFD) do governo estadual de Rondônia, mas que não recebeu ajuda de custo para se deslocar de Vilhena até Porto Velho.

“Eu recebi as passagens de avião de ida e volta, mas tive que gastar mais de R$ 150, para poder ir até a capital e pegar o voo até Campo Grande. E agora vou retornar para Vilhena, mas não tenho dinheiro”, revelou Lucilene.

A vilhenense diz que precisa R$120 para custear as despesas de Ji-Paraná a Vilhena. Ela deve retornar ao estado na noite desta quinta-feira, 11.   “O valor parece pequeno, mas minha doença é crônica e vou precisar fazer esse tratamento várias vezes. Por isso gostaria de pedir ao pessoal que trabalha no TFD para que se sensibilizassem com a situação dos pacientes que moram no interior e que custeassem as despesas de deslocamento para fora do estado, já que não oferecem esse tratamento aqui”, pediu Lucilene.

As pessoas que desejam ajudar Lucilene podem depositar qualquer quantia na conta dela, no banco Bradesco, agência: 1389-7, conta corrente 0025629-3.  Mais informações podem ser obtidas pelo telefone (67) 8133-1576. “Espero que as pessoas possam me ajudar, e que Deus retribuía a todos”, finalizou Luciene.

Texto: Extra de Rondônia

Foto: Divulgação

sicoob credisul
vacina 728×90

COMUNICADO: Atenção caros internautas: recomenda-se critérios nas postagens de comentários abaixo, uma vez que seu autor poderá ser responsabilizado judicialmente caso denigra a imagem de terceiros. O aviso serve em especial aos que utilizam ferramentas de postagens ocultas ou falsas, pois podem ser facilmente identificadas pelo rastreamento do IP da máquina de origem, como já ocorreu.

A DIREÇÃO