01No último domingo, 04, em Jaru, distante cerca de 290 quilômetros de Porto Velho, um avô precisou abrir uma cova no cemitério municipal, para poder sepultar a  neta, pois não havia coveiro.

O caso é mais um entre tantos que mostram o descaso da atual gestão municipal de Jaru, administrado pela petista Sônia Cordeiro.

A situação humilhante revoltou os familiares e amigos da criança, a pequena Agatha Vitória, que postaram fotos nas redes sociais, denunciando o descaso da prefeitura.

Uma familiar postou numa rede social a indignação com o executivo municipal por causa do lamentável ocorrido, que além de não ter um profissional de plantão para realizar os trabalhos de sepultamento, ainda declarou que o cemitério jaruense está em completo abandono, coberto por mato.

“Estou revoltada com o descaso, além da dor que estamos sentindo por causa da dor da perda da nossa pequena Agatha Vitória ainda tivemos de passar a humilhação de ver o vovô cavando a cova para enterrar a neta, sem contar que o mato nos impedia até de andar. Jaru está em péssimas mãos”, declarou a parente da criança morta em sua página no Facebook.

Em Candeias, filhos cavam sepultura da mãe

No final do ano passado, os filhos da senhora Maria Rabelo de Oliveira, que faleceu na véspera do natal, foram surpreendidos com o “sumiço” dos coveiros quando chegaram no cemitério de Candeias do Jamary para o sepultamento da mãe.

Sem alternativa, o jeito foi os próprios filhos, em meio a dor da perda, cavaram a cova para enterrar a sua genitora. Isso mostra que o descaso com os mortos e vivos só aumenta país afora.

Fonte: Anoticiamais

Autor: Flávio Afonso

 

 

sicoob credisul
vacina 728×90

COMUNICADO: Atenção caros internautas: recomenda-se critérios nas postagens de comentários abaixo, uma vez que seu autor poderá ser responsabilizado judicialmente caso denigra a imagem de terceiros. O aviso serve em especial aos que utilizam ferramentas de postagens ocultas ou falsas, pois podem ser facilmente identificadas pelo rastreamento do IP da máquina de origem, como já ocorreu.

A DIREÇÃO