No dia em que uma criança é encontrada dentro de buraco abandonado, Eliseu Lima, secretário de obras, cria outros para trazer riscos à população

 

 

O pedreiro, Ailton Silva Novaes não gostou nada da
O pedreiro, Ailton Silva Novaes não gostou nada da “medida” tomada pela pasta

A Secretaria Municipal de Obras e Serviços Públicos (SEMOSP) só funciona mesmo na base da chibata. Depois de o Extra de Rondônia mostrar a situação crítica de algumas ruas dos bairros Jardim Vitória e Assossete, o titular da pasta, Eliseu Lima botou o maquinário em cima do caminhão e foi até lá “resolver” o problema.

A saída encontrada pelo secretário foi cavar buracos dentro de terrenos particulares formando, assim, pequenos poços de água suja e parada. Quem conseguiu evitar que Lima finalizasse a “Operação Tatu” nas ruas de ambos os bairros foi o pedreiro Ailton Silva Novaes.

Ele conta que estava voltando para sua casa na hora do almoço e percebeu que o serviço realizado pela SEMOSP era de péssima qualidade. “Eu parei minha moto, perguntei quem era o responsável pela obra e pedi que parassem o serviço, pois não adiantaria nada. O encarregado ligou pro secretário, que autorizou o cancelamento do serviço”, lembra o pedreiro.

Somente nas imediações da Rua 8512, do Bairro Assossete (a principal) há seis buracos abertos pela secretaria de obras sobre terrenos particulares, além de vários canos de água danificados pelo trator (eles já foram arrumados pelo SAAE). Todos com aproximadamente dois metros de profundidade. A “ideia brilhante” do secretário acabou com algumas poças d’água gigantes que haviam na localidade, que deveriam ter sido tampadas na seca, mas não foram.

Porém a movimentação de máquinas pesadas sobre as ruas encharcadas promoveu um verdadeiro lamaçal na região. A frente de algumas casas ficaram intransitáveis, e o que era pra ser um alívio para os moradores, se transformou em mais preocupação. “É nítido que o serviço é mal feito. Como uma secretário autoriza sua equipe a cavar buracos dentro do terreno dos outros? Não adianta criar canais de água, tem é que resolver o problema como um todo”, reclamou o pedreiro Ailton Silva Novaes.

A terra enlameada mostra que basta uma única chuva para o que era apenas uma poça d’água evoluir para um atoleiro. “Eles só vêm aqui arrumar as ruas quando as reclamações vão parar na imprensa. Quando vêm olha o serviço que fazem!” exclama o pedreiro morador do bairro Assossete.

O que é mais irônico na história toda é que no dia em que a família do menino Hugo Gabriel, de 6 anos, respirou aliviada ao ter a criança de volta depois de 16 horas desaparecida, e passar a noite dentro de um buraco feito em um terreno baldio no bairro Cristo Rei, por estar correndo olhando pra cima atrás de uma pipa, o titular da SEMOSP manda criar mais seis valas em terrenos baldios na cidade. “Aqui é muito comum ver crianças correndo atrás de pipas. Questionei o secretário quanto ao perigo e ele nos mandou trancar as crianças em casa. Isso é um absurdo”, reclamou o morador.

DSC_0976

Serviço mal feito da SEMOSP deixou moradores irritados
Serviço mal feito da SEMOSP deixou moradores irritados

DSC_0979

A alternativa encontrada pelo secretário pra esconder o trabalho mal feito na época da seca foi cavar buracos em terrenos particulares para escorrimento da água empoçada
A alternativa encontrada pelo secretário pra esconder o trabalho mal feito na época da seca foi cavar buracos em terrenos particulares para escorrimento da água empoçada
Apesar de a água ter sumido, a lama substituiu as poças
Apesar de a água ter sumido, a lama substituiu as poças
“Novidade” no bairro chamou a atenção da molecada
O Pedreiro Ailton Novaes tem cerca de 1,70 m. O buraco lhe encobre tranquilamente
O Pedreiro Ailton Novaes tem cerca de 1,70 m. O buraco lhe encobre tranquilamente
Criança observa o
Criança observa o “serviço” de Lima
Em uma das valas apenas a água empoçada foi o suficiente para encher o buraco do secretário
Em uma das valas apenas a água empoçada foi o suficiente para encher o buraco do secretário

DSC_1010

Um indicativo de que há crianças soltando pipas na região está nos fios elétricos
Um indicativo de que há crianças soltando pipas na região está nos fios elétricos

DSC_1020

Texto: Extra de Rondônia

Fotos: Extra de Rondônia

sicoob credisul
vacina 728×90

COMUNICADO: Atenção caros internautas: recomenda-se critérios nas postagens de comentários abaixo, uma vez que seu autor poderá ser responsabilizado judicialmente caso denigra a imagem de terceiros. O aviso serve em especial aos que utilizam ferramentas de postagens ocultas ou falsas, pois podem ser facilmente identificadas pelo rastreamento do IP da máquina de origem, como já ocorreu.

A DIREÇÃO