dengue 728×90 – 2
Leandro Cavichioli é acusado de ser mandante do assassinato de dois pedreiros; acredita-se que o objetivo era o contador Dagoberto Moreira
Leandro Cavichioli é acusado de ser mandante do assassinato de dois pedreiros; acredita-se que o objetivo era o contador Dagoberto Moreira

 

A Desembargadora Ivanira Feitosa Borges, da 1ª câmara criminal do Tribunal de Justiça do Estado de Rondônia (TJ-RO) negou no dia 5 de março de 2015 habeas corpus para o comerciante Leandro Pereira Cavichioli, acusado de ser o mandante de uma emboscada à casa do contador Dagoberto Moreira na manhã do dia 26 de novembro do ano passado, que resultou na morte dos pedreiros Odail Ferreira Proença e Valdir Alves, que prestavam serviços na casa do contador. Os pistoleiros foram ao local com o intuito de matar Dagoberto, que apesar de estar em casa acabou saindo ileso do ataque.

O advogado de defesa do comerciante alegou que Leandro estava no município de Campos de Júlio (MT) naquele dia, trabalhando em uma usina, e que quando ficou sabendo que era apontado como suspeito de participação nos homicídios se apresentou imediatamente às autoridades policiais para colaborar com as investigações.

Leandro Cavichioli se apresentou no dia 2 de dezembro do ano passado, e desde então está preso na Casa de Detenção. A defesa do acusado disse, ainda, que ele está sofrendo excesso de prazo, uma vez que a justiça no mesmo momento em que indeferiu a revogação de sua prisão preventiva fora acatado o aditamento da denúncia, reabrindo a instrução criminal.

Diante do argumento, a desembargadora defendeu a ideia de que o pedido de habeas corpus, neste caso, é uma medida excepcional, e para ser deferido se faz necessária à constatação inequívoca de manifesta ilegalidade ou abuso de poder que justifiquem o pedido.

A magistrada disse que não percebeu nenhuma das implicações que justifiquem o pedido da defesa no caso analisado, e negou o pedido de habeas corpus ao acusado.

O caso envolvendo Leandro Pereira Cavichioli se tornou obscuro em alguns pontos para a investigação da polícia. Depois da invasão à sua residência, Dagoberto deixou de ter ponto fixo de moradia até o dia de seu sumiço, no dia 19 de janeiro. O corpo do contador foi encontrado no dia 24 de janeiro, em uma mata na zona rural de Vilhena. Ele foi executado com vários tiros em regiões vitais do corpo.

Relembre os casos através dos links

http://www.extraderondonia.com.br/2014/12/03/acusado-de-ser-mandante-de-duplo-homicidio-se-entrega-na-delegacia/

http://www.extraderondonia.com.br/2014/11/26/misterio-execucao-de-pedreiros-esta-sendo-investigada-pela-policia/

http://www.extraderondonia.com.br/2014/12/08/pc-desconfia-de-video-feito-por-comerciante-acusado-de-encomendar-execucoes-em-vilhena/

http://www.extraderondonia.com.br/2015/02/11/caso-dagoberto-justica-nega-soltura-a-acusado-de-mandar-matar-pedreiros/

http://www.extraderondonia.com.br/2015/01/24/corpo-de-dagoberto-e-encontrado-na-area-rural-de-vilhena/

 

Texto: Extra de Rondônia

Fotos: Extra de Rondônia

 

dengue 728×90

COMUNICADO: Atenção caros internautas: recomenda-se critérios nas postagens de comentários abaixo, uma vez que seu autor poderá ser responsabilizado judicialmente caso denigra a imagem de terceiros. O aviso serve em especial aos que utilizam ferramentas de postagens ocultas ou falsas, pois podem ser facilmente identificadas pelo rastreamento do IP da máquina de origem, como já ocorreu.

A DIREÇÃO