ODAIR NUNES DE SOUSA - OC . 2178-2015 , ESTELIONATO (2)
Odair Nunes de Sousa, 29 anos

No início da noite desta quinta-feira, 26, a Polícia Civil (PC) de Vilhena, em contato com a Polícia Civil do Rio de Janeiro, conseguiu prender Edinei F. M., 27, Odair N.S., 29, Orlando S.B., 36, e Jackson C.D.S.L., 18, os quais vinham “alugando” contas bancárias abertas em Rondônia, utilizadas por um apenado de Cuiabá-MT, identificado como Sidnei F.M.

O método utilizado pela quadrilha era lucrativas fraudes praticadas utilizando-se de ligações telefônicas.

Um dos golpes se trata do chamado “falso mecânico”, onde a pessoa se identifica para a vítima como sendo um parente (sobrinho, primo, etc) dizendo que está em viagem e o carro quebrou, pedindo urgentemente para a vítima depositar um valor na conta do “mecânico”, o que na verdade não passa de um teatro, um artifício utilizado.

Outro golpe, desta vez direcionado a empresas, trata-se do “valor a maior”, onde o estelionatário encomenda um produto de uma empresa de outra cidade (peças de carros, por exemplo) e faz um falso depósito (envelope de depósito vazio) na conta da empresa, com o valor maior que o cobrado pelo produto, solicitando da empresa, urgentemente, devolução do valor falsamente depositado a mais, conseguindo, assim, que a empresa restitua um valor que posteriormente vem a descobrir que fora depositado num envelope vazio.

Um terceiro golpe e talvez o mais conhecido, aplicado por essa quadrilha, é o do “falso sequestro”, onde o infrator liga para a vítima e a coloca para falar com um terceiro que, se passando por um parente da vítima, aos gritos, diz que foi sequestrado, pedindo então para a vítima depositar imediatamente o resgate na conta utilizada para praticar a fraude.

Os valores movimentados pelos infratores são altos. Somente em dois casos analisados pela equipe de investigação, foram depositados R$ 11.900,00 (onze mil e novecentos reais) por vítimas que caíram nesse golpe, vítimas essas do estado do Rio de Janeiro.

O preso Orlando chega a afirmar que, em determinado momento, recebeu R$25.000(vinte e cinco mil reais) em sua conta, preocupando-se com o valor movimentado.

Foi descoberto pela investigação da Polícia Civil que os presos Odair N.S, Orlando S.B e Jackson C.D.S.L, moradores de Vilhena, “alugavam” suas contas correntes, em variados bancos, por 10% (dez por cento) do valor de cada fraude aplicada, enquanto que Ednei F.M. conseguia agenciar os proprietários da conta, agindo em conluio com seu irmão, preso em Cuiabá-MT (Sidnei F.M), o qual aplicava, junto a outros apenados através de ligações telefônicas os referidos golpes.

Todos confessaram a participação no crime.

Na semana passada, agentes da PC de Vilhena conseguiram evitar um golpe que seria aplicado num casal de idosos, no chamado “falso sequestro”, onde as vítimas já estavam buscando concessionárias para vender um carro, a fim de pagar o falso “resgate”.

Portanto, novamente alertamos a sociedade e empresas que, em nível estadual nacional, há pessoas especializadas nessas fraudes que movimentam consideráveis valores obtidos nos estelionatos, para que se atente, em casos como este, procurem uma Delegacia de Polícia mais perto, ao se depararem com tais situações.

Orlando da Silva Borges
Orlando da Silva Borges
Jackson Cristiano Douglas
Jackson Cristiano Douglas
Edinei Freitas Müller
Edinei Freitas Müller
Odair Nunes de Sousa
Odair Nunes de Sousa

Texto: Extra de Rondônia

Informações: Assessoria

Fotos: PC de Vilhena

 

 

 

 

sicoob credisul
vacina 728×90

COMUNICADO: Atenção caros internautas: recomenda-se critérios nas postagens de comentários abaixo, uma vez que seu autor poderá ser responsabilizado judicialmente caso denigra a imagem de terceiros. O aviso serve em especial aos que utilizam ferramentas de postagens ocultas ou falsas, pois podem ser facilmente identificadas pelo rastreamento do IP da máquina de origem, como já ocorreu.

A DIREÇÃO