arrigo colunaUma frase que até pouco tempo era muito comum no Brasil dizia o seguinte: “ Lugar de  criança é na Escola”, e isso é a mais pura verdade. Contudo, não basta mais só estar na Escola, é preciso estar na Escola  aprendendo.

Meta 5 – Alfabetizar todas as crianças, no máximo, até o final do 3o (terceiro) ano do ensino fundamental.

Estabelecimento de metas por sí só não resolve o problema da falta de qualidade no ensino público brasileiro, além disso é preciso se criar uma nova cultura nessa área. Por muitos e muitos anos os pais mandaram seus filhos à Escola publica com único objetivo, aprender a ler e escrever, não se exigia nada mais que isso. Da mesma maneira, os filhos foram doutrinados à ir para a Escola porque pecisavam aprender a ler e escrever e por fim, a Escola internalizou esse conceito e passou a limitar-se apenas a ensinar  ler e escrever. Mas o que há de mal nisso, aprender a ler e escrever? O problema é que quem joga pelo empate, quase sempre perde. São muitos os fatores que  envolvem a formação intelectual plena da criança em uma escola e com isso não se pode em nenhuma hipótese, apoiar-se apenas nesses dois pilares.

Aprender o trivial na Escola, ler e escrever,  foi deixando de ser prioridade a medida que a universalização do ensino foi acontecendo até chegarmos ao absurdo de nos contentar em apenas o aluno estar na escola. Hoje a mentalidade é outra: O aluno matriculado na Escola púbica precisa ser alfabetizado integralmente até o 3º ano do ensino fundamental, é lei.

Para tanto, os investimentos em formações dos professores estão acontecendo e campanhas com o tema “ alfabetização na idade certa” estão sendo veículadas com propósito de conscientizar a comunidade dessa necessidade.

Certamente só alfabetizar não resolverá o problema da falta de qualidade do ensino público no Brasil. Necessário se faz , urgentemente, que o Ministério da Educação crie programas que padronizem o ensino e o aprendizado, que invista em tecnologia e estrutura laboratorial nas Escolas e sobretudo, estenda a toda Educação básica as formações oferecidas aos educadores desde a iniciação acadêmica até a formação continuada nas Escolas.  Somente pensando a Educação desta maneira, poderemos de fato  sonhar com uma “Pátria educadora”.

Texto: José Carlos Arrigo

Foto: Divulgação

 

sicoob credisul
vacina 728×90

COMUNICADO: Atenção caros internautas: recomenda-se critérios nas postagens de comentários abaixo, uma vez que seu autor poderá ser responsabilizado judicialmente caso denigra a imagem de terceiros. O aviso serve em especial aos que utilizam ferramentas de postagens ocultas ou falsas, pois podem ser facilmente identificadas pelo rastreamento do IP da máquina de origem, como já ocorreu.

A DIREÇÃO