covid19 – 728×90-2

lixoA situação constrangedora foi enfrentada pela família de um garoto de apenas nove anos.

Operado em virtude de uma apendicite em Vilhena, o paciente foi levado de volta a cidade por um caminhão de coleta de lixo que retornava a Corumbiara após descarregar os detritos no aterro sanitário situado nas imediações da BR 435.

O caso aconteceu na terça-feira da semana passada, e foi denunciado pelo vereador Valdinei Antônio Coelho na sessão da Câmara de Vereadores do Município na sessão realizada na segunda-feira 04.

O parlamentar registrou sua indignação com o ocorrido, tendo concordância plena do presidente da Casa, Wilmar José Cardoso, o “Bagunça”. A família ficou indignada com o fato, mas isenta o prefeito Deocleciano Pereira Filho.

De acordo com relato do pai do garoto, entrevistado por telefone pela reportagem do Extra de Rondônia, o menino foi operado no sábado, 25, no Hospital Regional de Vilhena após o diagnóstico da doença abdominal. Na terça-feira 28 a esposa entrou em contato com ele confirmando a alta do paciente e pedindo para que viesse busca-los. O homem conseguiu emprestar o carro do patrão, porém como não dispunha de dinheiro para abastecer o veículo procurou apoio em tal sentido com o prefeito Deocleciano.

Disposto a ajudar, o Chefe do Executivo disse que não poderia ceder combustível, porém havia um carro do Município em Colorado do Oeste, o qual tinha condições de enviar para Vilhena a fim de buscar a esposa e o garoto operado. Acertada a situação, o pai desistiu do empréstimo do carro do patrão e avisou a esposa que um veículo da prefeitura faria o transporte.

Na hora combinada o motorista Marcelo Crisóstomo, que acumula a função de servidor público e vereador de Corumbiara, resgatou mãe e filho na portaria do Regional, mas o transporte no automóvel limitou-se apenas a cerca de 20 quilômetros dos cerca de 180 existentes entre as duas cidades. Parado no acostamento da BR 435, no ponto de acesso ao aterro sanitário, estava o caminhão de coleta de lixo a espera dos passageiros.

A partir daí o percurso foi coberto pela “ambulixo”, com a viagem sendo de alto risco ao garoto recém-operado – ainda com os pontos da cirurgia. “Levei um susto enorme ao ver minha esposa e filho sendo deixados em casa pelo caminhão de lixo da cidade. Meu filho desceu do veículo com dores de cabeça e vomitando, e ontem (segunda-feira 04) amanheceu com febre e precisou de atendimento médico”, relatou o pai. Ele não esconde a revolta e constrangimento, mas ao ligar para o prefeito Deocleciano a fim de agradecer, “mas deixar claro que fiquei chateado com o caso”, descobriu que este nada sabia acerca do ocorrido. “O prefeito também ficou revoltado e disse que iria tomar providências”, disse o pai.

A repercussão do ocorrido foi enorme na cidade e promete desdobramentos. O presidente da Câmara também foi ouvido pelo site e ressaltou que ainda esta semana a situação será relatada oficialmente ao Ministério Público. “Não podemos admitir que coisas assim aconteçam. Recentemente tivemos outro caso inaceitável, quando uma ambulância levou mais de três horas para resgatar vítima de acidente de trânsito, a qual acabou falecendo por hemorragia devido a demora do atendimento. Os dois fatos serão levados ao MP para as devidas providências”, garantiu “Bagunça”.

Texto: Extra de Rondônia

Imagem: Ilustração

sicoob credisul
covid19 – 728×90-1

COMUNICADO: Atenção caros internautas: recomenda-se critérios nas postagens de comentários abaixo, uma vez que seu autor poderá ser responsabilizado judicialmente caso denigra a imagem de terceiros. O aviso serve em especial aos que utilizam ferramentas de postagens ocultas ou falsas, pois podem ser facilmente identificadas pelo rastreamento do IP da máquina de origem, como já ocorreu.

A DIREÇÃO