covid19 – 728×90-2
Prefeito está envolvido na denúncia
Prefeito está envolvido na denúncia

O Ministério Público Federal (MPF), em Vilhena, emitiu uma recomendação para que a prefeitura controle e verifique a regularidade de transações de bens imóveis do Município, inclusive quanto ao valor de mercado dos imóveis envolvidos.

Pela recomendação, a prefeitura deve também dar publicidade a essas transações pelo Diário Oficial do Município e Portal da Transparência, além de cumprir a legislação.

A recomendação faz parte de um inquérito civil público que está em curso no MPF, no qual se apura se a prefeitura de Vilhena teria feito ou estaria fazendo permuta irregular de imóvel público, subavaliado, por imóvel privado.

Segundo o MPF, historicamente há casos de transações irregulares de bens públicos em Vilhena. Esses casos têm sido questionados pelo Ministério Público Estadual e levados ao conhecimento do Poder Judiciário local. Há indícios de que os casos envolvam as mesmas pessoas, com permutas feitas por dispensa de licitação.

Pela Lei nº 8.666/93, as permutas, compras ou locações de imóveis particulares pelo poder público só podem ser feitas por licitação pública que possibilite concorrência. A dispensa de licitação somente é possível se houver justificativa do interesse público quanto à escolha de determinado imóvel e inexistência de alternativas na região. Além disto, é preciso que o imóvel tenha avaliação prévia, com valores de mercado, bem como autorização da Câmara de Vereadores.

Todo o procedimento de dispensa de licitação também deve ser comunicado dentro de três dias à autoridade superior, para ratificação e publicação na imprensa oficial, no prazo de cinco dias, como condição para a validade dos atos.

Na recomendação, o procurador da República Daniel Lôbo ressalta que cabe aos sistemas de controle externo e interno do Município a fiscalização do gerenciamento dos bens imóveis que compõe o seu acervo patrimonial. Por esta razão, o procurador também requisitou da Secretaria Regional de Controle Externo em Vilhena a realização de relatório de auditoria, no prazo de 90 dias, acerca das alienações de bens imóveis realizadas nos últimos cinco anos pela Prefeitura Municipal de Vilhena.

REPERCUSSÃO

O caso envolvendo os imóveis públicos foi tema de destaque do Extra de Rondônia e gerou repercussão na sociedade. A denúncia envolve o prefeito Zé Rover, o secretário municipal Gustavo Valmórbida e o empresário Moacir Crocetta, acusados de formar suposto esquema de permuta de terrenos públicos.

A denúncia, levada ao conhecimento da justiça, foi de autoria de Pedro Sales Neto, o popular “Pedro Boiadeiro”. Segundo ele, o erário público pode ter sido lesado em R$ 7 milhões na compra e venda de terrenos.

A justiça acatou o pedido de “Boiadeiro” e suspendeu a Lei que permitiu o prefeito, Zé Rover, doar os imóveis públicos milionários.

 

Texto: Extra de Rondônia

Informações: Assessoria do MPF)

Foto: Divulgação

sicoob credisul
covid19 – 728×90-1

COMUNICADO: Atenção caros internautas: recomenda-se critérios nas postagens de comentários abaixo, uma vez que seu autor poderá ser responsabilizado judicialmente caso denigra a imagem de terceiros. O aviso serve em especial aos que utilizam ferramentas de postagens ocultas ou falsas, pois podem ser facilmente identificadas pelo rastreamento do IP da máquina de origem, como já ocorreu.

A DIREÇÃO