covid – 768×90-2
“Marquinho” e sua filha Izabela, que está residindo na capital
“Marquinho” e sua filha Izabela, que está residindo na capital

O comerciante e bacharel em Direito, Marcos Gudin de Souza, o “Marquinhos Bacana”, que no final da década de 90 ingressou na Câmara de Vereadores de Vilhena entre os mais votados da história do Município, jamais abandonou o interesse pela política após o final do mandato.

Filiado há cerca de duas décadas no PDT, o ex-vereador mantém rotina de trabalho na capital, mas possui vínculos acentuados no Portal da Amazônia, onde inclusive mantém seu domicílio eleitoral.

Convidado a se filiar ao PSOL, através do radialista Júlio Silva, Marquinhos comentou a proposta em visita ao Extra de Rondônia nesta quinta-feira 25, afirmando que existe possibilidade dele vir a disputar as eleições do próximo ano.

“Não descarto a possibilidade de encarar o desafio de concorrer. A experiência parlamentar foi muito positiva em minha vida, pois tive a oportunidade de contribuir com pessoas mais humildes e com o desenvolvimento da nossa cidade, ao passo que jamais pedi ou recebi favor algum do prefeito da época. Isso demonstra que é possível fazer política sem incorrer em ações que desvirtuem a essência da função pública”, disse o ex-vereador.

Sobre o convite do amigo radialista, Marquinhos declarou que “é uma possibilidade”. Ele vai adiar a decisão até o limite do prazo legal para filiação, “a fim de avaliar o panorama político e o esboço das possíveis coligações antes de decidir”. A declaração permite concluir que Bacana está mesmo interessado nas eleições de 2.016, dando embasamento ao anúncio que pode ser candidato.

No momento, entretanto, o foco da atenção do empresário é o apoio a sua filha Izabela Honorato Gudin de Souza (ambos na imagem), que está residindo na capital. “Tenho dado suporte para que ela conquiste sua meta de vida, que é formar-se como engenheira agrônoma. O primeiro passo já foi dado, pois ela conseguiu ingressar numa das mais importantes faculdades do Estado, a FIMCA, o que lhe garante excelente formação”, destacou.

Alternar a vida entre duas cidades que ficam em extremos geográficos opostos em Rondônia é um desafio e tanto. “Mas, aos poucos estou conquistando espaço em Porto Velho e as portas vão se abrindo. Porém, por mais bem-sucedido que eu possa ser na capital, Vilhena é a cidade do meu coração, e se for para contribuir de forma correta e desinteressada com a população não hesitarei em voltar a participar da vida pública do Município”, finalizou.

Fonte: Extra de Rondônia

Foto: Extra de Rondônia

covid – 768×90-1

COMUNICADO: Atenção caros internautas: recomenda-se critérios nas postagens de comentários abaixo, uma vez que seu autor poderá ser responsabilizado judicialmente caso denigra a imagem de terceiros. O aviso serve em especial aos que utilizam ferramentas de postagens ocultas ou falsas, pois podem ser facilmente identificadas pelo rastreamento do IP da máquina de origem, como já ocorreu.

A DIREÇÃO