ApCC09eZavM51erL5Y06S1niFI2aQeyrelGMh71NbU9mEm contato com a delegada Keite Mota, titular da UNISP do Município de Candeias do Jamari, que investiga o suposto sequestro da esposa do prefeito local, fomos informados que a vítima Djeimi Cheurie foi ouvida na manhã desta quarta-feira (6), e na oportunidade esclareceu sobre o seu desparecimento.

Djeimi falou que foi interceptada em uma via pública de Candeias e convidada a entrar em um ônibus, onde veio parar em Porto Velho. A mulher falou que dois homens lhe interceptaram e disseram que um grupo estava em poder do seu filho. Assustada a secretária de saúde do município seguiu as ordens.

O caso foi dado como sequestro e pela parte da noite os bandidos entraram em contato com os familiares da mulher, por meio de mensagens da rede social WhatsApp. Um dos bandidos exigiu que o prefeito Francisco Sobreira o popular “Careca” renunciasse o mandato como pagamento de resgate. A delegada disse que em nenhum momento a mulher ouviu os acusados pedirem dinheiro para libertar ela.

Djeimi foi encontrada por policiais civis de Guajará Mirim em um ponto de ônibus da cidade, após “Careca” ter passado informações. A mulher informou que estava bem e que havia dado entrada em um “hotelzinho”. A vítima fez questão de informar que não foi maltratada e que estava em poder de um casal.

A primeira Dama confirmou que no mês de dezembro, dia 22/12, compareceu na delegacia da cidade e registou o Bop nº 3180/2015 correspondente ao crime de ameaça de morte. Djeimi disse que havia recebido dois telefonemas, onde os acusados pediam para ela não investigar o desaparecimento de peças de uma ambulância, pois se ela continuasse ia morrer.

O caso é dado pela delegada como muito delicado e as investigações continuam.

Autor: Rondoniaovivo

sicoob credisul
vacina 728×90

COMUNICADO: Atenção caros internautas: recomenda-se critérios nas postagens de comentários abaixo, uma vez que seu autor poderá ser responsabilizado judicialmente caso denigra a imagem de terceiros. O aviso serve em especial aos que utilizam ferramentas de postagens ocultas ou falsas, pois podem ser facilmente identificadas pelo rastreamento do IP da máquina de origem, como já ocorreu.

A DIREÇÃO