presidioA falta de servidores na segurança dos presídios do Estado de Rondônia tem gerado grande desconforto a comunidade e preocupação aos poucos agentes que existem e “se viram nos trinta” para desempenhar suas funções como podem. Em Vilhena não está sendo diferente, são dois agentes penitenciários por turno para quase 300 presos no Centro de Ressocialização Cone Sul, o presídio de segurança “máxima” instalado no município há mais de três anos.

Resultado destas inconstâncias do poder público, diversos tumultos e tentativas de fugas tem se tornado frequente.

Fontes asseguram uma tentativa de fuga no presídio de Vilhena registrado na última segunda-feira, 18. De acordo com informações, alguns presos de uma cela tentaram a evasão por uma “teresa”, espécie de uma corda fabricada com lençóis, assim como aconteceu na última fuga em meados do mês de maio do ano de 2014. Na ocasião, oito presos conseguiram fugir e a maioria deles ainda não foi recapturada.

Ainda, de acordo com informações, a cela que organizou a tentativa de fuga é a mesma em que se encontram os ex-servidores públicos municipais Gustavo Valmórbida e Luiz Serafim, presos durante a Operação Stigma e condenados por corrupção e desvios de verbas públicas.

A reportagem do Extra de Rondônia tentou contato com a direção do presídio, mas obteve informação de que o responsável não se encontra na cidade. Deixamos o espaço aberto para qualquer esclarecimento.

 

Texto: Extra de Rondônia
Foto: Extra de Rondônia/ Arquivo

sicoob credisul
vacina 728×90

COMUNICADO: Atenção caros internautas: recomenda-se critérios nas postagens de comentários abaixo, uma vez que seu autor poderá ser responsabilizado judicialmente caso denigra a imagem de terceiros. O aviso serve em especial aos que utilizam ferramentas de postagens ocultas ou falsas, pois podem ser facilmente identificadas pelo rastreamento do IP da máquina de origem, como já ocorreu.

A DIREÇÃO