Cahúlla, Garçon e Cassol fora do pleito eleitoral de 2016
Cahúlla, Garçon e Cassol fora do pleito eleitoral de 2016

O ministro Gilmar Mendes, do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), rejeitou o recurso de João Cahúlla, Lindomar Garçon, Ivo Cassol, Carlinhos Camurça, Tiziu Jidalias e Carlinhos Camurça em ação por abuso de poder político nas eleições de 2010.

Todos eles foram candidatos a cargos eletivos, levaram dezenas de estudantes ao clube Kabanas, em Porto Velho, para um evento direcionado à juventude, que segundo o Ministério Público se transformou em um “grande comício”.

O ministro rejeitou os argumentos do Recurso Ordinário apresentado pelos políticos e os deixa inelegíveis por um período de 8 anos, a contar do dia das eleições de 2010.

Para disputar a prefeitura agora em 2016, por exemplo, Garçon está fora, assim como Tiziu, que cogitava a prefeitura de Ariquemes.

O senador Ivo Cassol, que já tem uma condenação por direcionamento em licitação, também fica fora da reeleição em 2018 por uma questão de dias. Com isso, todos estão inelegíveis.

AMORIM QUER MANDATO

O ex-senador Ernandes Amorim, que é primeiro suplente de Lindomar Garçon deve entrar com ação judicial para tentar conseguir o mandato. Ele acredita que com a condenação, Garçon também não pode se manter no cargo. Leia mais no seguinte link: http://painelpolitico.com/tse-nega-recurso-e-tira-cahulla-garcon-cassol-e-camurca-das-eleicoes-de-2018/

 

Texto: Painel Político

Foto: Extra de Rondônia

sicoob credisul
vacina 728×90

COMUNICADO: Atenção caros internautas: recomenda-se critérios nas postagens de comentários abaixo, uma vez que seu autor poderá ser responsabilizado judicialmente caso denigra a imagem de terceiros. O aviso serve em especial aos que utilizam ferramentas de postagens ocultas ou falsas, pois podem ser facilmente identificadas pelo rastreamento do IP da máquina de origem, como já ocorreu.

A DIREÇÃO