Vereador foi ouvido na Delegacia de Polícia Civil
Vereador foi ouvido na Delegacia de Polícia Civil

O vereador e ex-presidente da Câmara de Vereadores de Vilhena, Antônio Marco de Albuquerque (PHS), o Marcos Cabeludo, foi ouvido na manhã desta quinta-feira, 18, em inquérito que averigua supostas irregularidades com despesas de pessoal em sua gestão à frente do Poder Legislativo.

O procedimento tem como base parecer do Tribunal de Contas do Estado, que apontou gastos incompatíveis com o pagamento do funcionalismo da Câmara.

O advogado que acompanha o ex-presidente informou que está tomando medidas cabíveis para questionar a situação.

Segundo informações, no depoimento prestado na Polícia Civil nesta quinta-feira Marcos Cabeludo contestou as acusações, negando qualquer prática ilegal na época em que estava ocupando presidência do Parlamento.

Ele não quis prestar informações ao Extra de Rondônia, mas através do defensor dele a reportagem do site apurou que a manifestação do TCE é passível de recurso, ação que já está sendo adotada através de pedido de Mandado de Segurança.

Paralelo a isso, o advogado deve entrar com requerimento de Habeas Corpus para tentar paralisar o inquérito ainda nesta fase.

Por outro lado, a Polícia Civil informou que o procedimento está transcorrendo normalmente, e que o inquérito será concluído nos próximos dias e encaminhado ao Poder Judiciário.

Ainda de acordo com a instituição, o parecer da Corte de Contas está muito bem embasado e detalhado até a casa dos centavos com relação ao gasto dos recursos que está sendo investigado.

Ao sair da delegacia, o vereador não quis prestar informações ao Extra de Rondônia
Ao sair da delegacia, o vereador não quis prestar informações ao Extra de Rondônia

Fonte: Extra de Rondônia

Foto: Extra de Rondônia

sicoob credisul
vacina 728×90

COMUNICADO: Atenção caros internautas: recomenda-se critérios nas postagens de comentários abaixo, uma vez que seu autor poderá ser responsabilizado judicialmente caso denigra a imagem de terceiros. O aviso serve em especial aos que utilizam ferramentas de postagens ocultas ou falsas, pois podem ser facilmente identificadas pelo rastreamento do IP da máquina de origem, como já ocorreu.

A DIREÇÃO