Um estudo realizado por órgãos ligados ao Ministério do Meio Ambiente como a Abrelpe, “Associação Brasileira das Empresas de Limpeza Pública”, no segundo semestre de 2017   o Brasil teve quase 3 mil lixões de aterros irregulares, diz o levantamento.

Uma dura realidade enfrentada por muitos brasileiros por causa da falta de compromisso por parte do poder público, em especial dos gestores municipais, apesar da obrigatoriedade da lei que determina o fim do chamados ” lixões” ou vazadouros que ainda funcionam normalmente.

Estimativas mostram que os lixões impactam a qualidade de vida de 77 milhões de brasileiros. Nosso país ainda libera cerca de 30 milhões de toneladas de lixo por ano de forma inadequada, situação que acaba expondo a população a vários problemas de saúde. Desde o lixo produzido pela família em casa, como latas, garrafas pet, cascas de frutas e legumes, ou restos alimentos, outros resíduos dispensados pelas indústrias, muitas vezes vão parar em locais impróprios como os lixões, contribuindo significativamente com a contaminação do local e o aparecimento de doenças perigosas em razão do grande índice de contaminação do solo e dos recursos hídricos. A pesquisa mostra ainda que mais 14 mil toneladas de resíduos sólidos ainda vão para lixões diariamente.

Mesmo num momento de crise e instabilidade econômica no país é necessário que os municípios hajam com responsabilidade e compromisso com a saúde de todos, oferecendo uma solução para esta questão da gestão de resíduos sólidos, para que seja resolvida num curto espaço de tempo. No Brasil 65% dos municípios não têm receita específica para cuidar do lixo, passando esta atribuição das prefeituras. Portanto cada gestor público tem o compromisso de debater com a sua comunidade a forma correta e a importância de se ter uma verba adequada para fazer a destinação final do lixo. Os aterros sanitários controlados ainda são as melhores alternativas para se tratar o lixo numa cidade.

Em Rondônia temos grandes exemplos de cidades cujo o lixo tem sua destinação final correta de acordo com a legislação ambiental. Os municípios de Vilhena e Cacoal já possuem aterros sanitários e acondicionam o lixo de diversas cidades do estado, proporcionando mais saúde à população.

Texto e Fotos: Assessoria

sicoob credisul
vacina 728×90

COMUNICADO: Atenção caros internautas: recomenda-se critérios nas postagens de comentários abaixo, uma vez que seu autor poderá ser responsabilizado judicialmente caso denigra a imagem de terceiros. O aviso serve em especial aos que utilizam ferramentas de postagens ocultas ou falsas, pois podem ser facilmente identificadas pelo rastreamento do IP da máquina de origem, como já ocorreu.

A DIREÇÃO