O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) marcou para quinta-feira, 12, o julgamento da prefeita de Vilhena Rosani Donadon (MDB), no qual foi eleita em 2016 – mas contestada pela coligação “Pra Fazer a Diferença” de Eduardo Japonês (PV) e o Ministério Público (MP), que entraram com ação pedindo perca de mandato alegando que Rosani não estava apta a disputar o pleito por ter problemas com a justiça.

Com isso, o caso terá desfecho e será decidido pelo ministro Admar Gonzaga, que além de Rosani, irá julgar mais 5 prefeitos que estão na mesma situação.

Se a decisão for favorável, Rosani Donadon continua no cargo e cumpre seu mandato. Porém, se não for, Vilhena terá novas eleições para eleger um novo prefeito.

Entretanto, em todas entrevistas concedida pela prefeita, “sempre afirmou que não concorreu sob liminar. Ademais, não sou ficha suja, por isso, estou confiante na vitória e continuarei a frente do executivo vilhenense”, disse Rosani.

Texto e Foto: Extra de Rondônia

sicoob credisul
vacina 728×90

COMUNICADO: Atenção caros internautas: recomenda-se critérios nas postagens de comentários abaixo, uma vez que seu autor poderá ser responsabilizado judicialmente caso denigra a imagem de terceiros. O aviso serve em especial aos que utilizam ferramentas de postagens ocultas ou falsas, pois podem ser facilmente identificadas pelo rastreamento do IP da máquina de origem, como já ocorreu.

A DIREÇÃO