Após meses de atrasos no transporte escolar, causado por trâmites de um processo de licitação, agora as más condições de uma ponte completam os capítulos de uma novela vivida pelos moradores da zona rural do município de Corumbiara, que parece longe de ter um final feliz.

A burocracia da licitação que teve como ganhadora uma empresa portovelhense, retirando a prática das mãos da Manancial Tranportes de Colorado, que já era responsável pela atividade em 2017 e que por fim, voltou a assumir o posto, devido à desistência da primeira classificada, deixou diversos alunos fora de sala de aula por meses e agora, a interdição da ponte do Rio Santa Cruz, localizada na terceira eixo, próximo ao distrito de Rondolândia, impossibilita o transporte de alguns alunos da escola Colina Verde..

As tábuas e caibros podres da ponte, que possui mais de 15 metros de comprimento e que já está interditada a mais de 4 meses, não permitem o trânsito dos ônibus escolares e até o momento os moradores não receberam nenhuma posição da prefeitura, quando à manutenção da mesma.

Texto e fotos: Extra de Rondônia

sicoob credisul
vacina 728×90