Dionaldo: “Devo esclarecer que quanto ao envolvimento da religião com a política, o vereador talvez ignore por falta de escola”

Pastor Dionaldo Pereira em visita ao Extra

O pastor Dionaldo Pereira visitou a redação do Extra de Rondônia na manhã deste sábado, 19, para rebater acusações feitas pelo vereador Ronildo Macedo (PV), em Vilhena.

Em entrevista à imprensa local, Macedo questionou Dionaldo por, supostamente, ter feito uma oração e abençoar Rosani Donadon numa reunião, pedindo proteção para ela contra o “inimigo”, que estaria usando a justiça e os adversários para persegui-la.

O vereador, que apoia o candidato Eduardo Japonês, disse que o pastor deveria ficar envergonhado por pregar a palavra de Deus e defender uma família que tem vários condenados. Denunciou, também, que o Dionaldo recebia portaria no valor de R$ 4.500,00 na gestão de Rosani.

Ao site, o pastor lamentou as declarações de Macedo e disse ter ficado horrorizado com a falta de respeito. “Ele mentiu. As minhas palavras são de oração como servo de Deus e cidadão consciente. Apenas disse que cometeram uma injustiça com Rosani Donadon tirando-a do cargo de prefeita o qual estava exercendo. Porém, não guardo nenhuma mágoa e farei orações por ele, para que o nobre vereador volte a ter a paz que tinha com a família (esposa) antes de ser eleito a vereador”, destacou.

 

>>> LEIA, ABAIXO, A NOTA NA INTEGRA REPASSADA AO EXTRA DE RONDÔNIA:

O vereador Ronildo Macedo (PV), da coligação do Japonês, foi muito infeliz e usou de má-fé, quando utilizou-se da imprensa para difamar e denegrir a minha imagem, por ter feito uma oração por Rosani Donadon e sua equipe de trabalho.

Usar de má-fé,  no caso deste vereador, é uma desqualificação que lhe é própria, haja vista que entre outras falta de postura, conduta e dignidade as quais dispensou citar por não fazer parte de seus princípios.  Apenas disse ser obrigado a citar a que lhe deixou mais horrorizado, quando soube que Ronildo Macedo faltou com respeito e gratidão com os eleitores do seu próprio bairro (Cristo Rei), quando tentou barrar parte do asfaltamento do referido bairro que ajudou a lhe eleger.

Não guardarei nenhuma mágoa do vereador em pauta, e farei orações para que o nobre vereador volte a ter a paz que tinha com a família (esposa) antes de ser eleito a vereador.

Vou manter o respeito a Ronildo Macedo, enquanto vereador, pois o mesmo é uma autoridade, e a bíblia ensina a respeitar, como ensina também  a respeitar os ungidos de Deus (Pastores lideranças espirituais). Porém, não foi esta a postura de Ronildo Macedo, quando o mesmo iniciou me cobrando postura na qualidade de Pastor e ministro do evangelho. O vereador se contra diz quando termina por chamar-me de “tal Dionaldo”, expressão esta que me deixa à vontade para estar aonde quiser.

A baixa linguagem do vereador revela o desespero, a falta de equilíbrio e a sua formação como pessoa. O despreparo deste vereador, consequentemente, me fez esquecer que a mesma bíblia, que ordena respeitar as autoridades constituídas civis e militares, ordena também rigorosamente a respeitar as autoridades eclesiásticas  (Pastores).

O vereador em questão faltou com o decoro e princípios morais ao enviar espiãs, disfarçados de 15, à reunião interna da coligação “A Vontade do Povo”, de Rosani Donadon. Todos sabem muito bem que quando alguém cuida da vida alheia se esquece da sua.

Pois bem. Nesta reunião que fiz a oração por Rosani Donadon e equipe, e outras que já fiz, continuarei em quantas Deus me proporcionar ocasião. Porém, a oração incomodou Ronildo Macedo que foi induzido pelo seu informante a se levantar contra a oração, pois levaram a ele informações distorcidas e acrescentadas, fazendo o vereador usar o meio de comunicação para mentir e cometer baixaria.

Convém esclarecer que Ronildo Macedo mentiu ao relatar que eu disse em oração que o diabo estaria usando a justiça para perseguir Rosani Donadon, haja vista que em minhas palavras e oração como servo de Deus e cidadão consciente, apenas disse que cometeram uma injustiça com Rosani Donadon tirando-a do cargo de prefeita o qual estava exercendo. E, inquestionavelmente, trabalhando muito bem. E agora cometeram outra injustiça, tentando impedi-la de prosseguir a sua campanha para voltar a cadeira  de direito, que a própria justiça outrora lhe havia  outorgado.

Baseado no direito de ir e vir e liberdade de expressão que a democracia nos oferece, eu, pastor Dionaldo, expus a minha visão e compreensão que orando a Deus e refletindo nas ocorrências políticas, e circunstâncias que hora se encontra nossa cidade que aprendi amar, pois sou morador de Vilhena há 32 anos: 27 anos de ministério Pastoral. Disse em minhas palavras que a conclusão que cheguei é que estamos diante de uma batalha que também envolve o campo espiritual, entre o bem e o mal.

E quem estiver consciente que está fazendo o bem à cidade, terá conforto e paz interior, pela certeza de estar do lado da verdade, do bem e do amor ao próximo, e  em harmonia com o universo do bem, oposto ao ódio,  perversidade, maldade, egoísmo, questões pessoais e caprichos humano.

Devo esclarecer que quanto ao envolvimento da religião com a política, o vereador talvez ignore por falta de escola, haja vista, os mais renomados cientistas políticos, filósofos e escritores como Augusto Cury, afirmam que a politica não pode andar com a religião, mas a religião pode e deve andar com a política. Parece contraditório, mas a política, sem a religião, é como a terra sem sal. A presença dos profetas são ungidos de Deus desde os primórdios dos tempos bíblicos; sempre foram indispensáveis na política para abençoar e pedir a direção de Deus.

Quanto ao valor do salário que eu ganhava quando trabalhei na prefeitura que o vereador de forma indecente se referiu, me expondo, faltando com a ética e a moral, devo declarar que fazia jus ao que ganhava com meu trabalho, coordenando e fiscalizando todas as instalações das feiras da nossa cidade. Para informação, são 09 (nove) instalações, que, com certeza, o nobre Ronildo Macedo desconhece, haja vista nunca ter pisado o pé na feira, nem para comprar uma sacola de tomate, muito menos para trazer algum benefício.

Analisando bem, o que eu ganhava pelo que fazia nas feiras, na situação que a gestão de Rosani Donadon pegou esse município, o abandono que se encontrava também as feiras, comparando o meu trabalho que não tinha hora, até nas madrugadas de sábados, domingos e feriados, diante do que o vereador e sua assessória ganha, o meu trabalho fazia muito mais jus.

Proponho que se abra uma sindicância sobre os valores que ganham os assessores do vereador Ronildo Macedo para ver se o que fazem corresponde ao  que ganham.

Dionaldo Pereira

Dionaldo explicando o caso ao jornalista Orlando Caro, diretor do site

Texto: Extra de Rondônia

Fotos: Extra de Rondônia

sicoob credisul
vacina 728×90