Queimada 728×90

 

Devido à proximidade das eleições nacional que ocorrerão no domingo, 07, a reportagem do Extra de Rondônia esteve com o comando do 3º Batalhão de Polícia Militar (PM) e da Polícia Federal (PF) de Vilhena, a fim de informar e esclarecer os eleitores sobre as ações que estão sendo adotadas pelas respectivas autoridades e sobre o que pode ou não pode em dia de eleição.

Apesar de ser do conhecimento de todos, os termos crime eleitoral, condutas vedadas e propaganda irregular, muitos eleitores ainda possuem dúvidas sobre as ações que os diferem e sobre as penalidades aplicadas a cada caso.

Por este motivo a reportagem do site falou com o subcomandante do 3º batalhão da PM, Capitão PM Diego Batista Carvalho e com o delegado Bruno Zane Santos, a frente da PF de Vilhena, que esclareceram as diferenças de cada uma das condutas delitivas acima citadas e expuseram os métodos que serão usados para coibi-las.

Assim como a PM, a PF terá seu efetivo nas ruas, a partir das 22h00 de sábado, 06, que é o prazo máximo estipulado pela Justiça Eleitoral para o término das campanhas, porém, o papel das mesmas só é punitivo em casos de crimes eleitorais, que são as bocas de urnas, compra de votos, transporte ilegal de eleitores por partes dos candidatos, dentre outros.

Neste caso em específico, os militares e federais agirão efetivamente na detenção dos suspeitos, no entanto, quando se tratar de propaganda irregular, que é quando o eleitor comparece a sua zona eleitoral com vestimentas contendo fotos ou apologias a candidatos ou veículos com adereços acima dos padrões permitidos, a polícia agirá apenas no apoio para a retirada do cidadão do local ou remoção do automóvel, para aplicação da punição devida por parte da Justiça Eleitoral.

Do mesmo modo, agirão em casos de condutas vedadas, delito este que só pode ser cometida por funcionários públicos, que se abstêm de suas funções para realizar trabalhos em campanhas ou permitem que reuniões partidárias sejam realizadas em departamentos públicos.

No mais, o capitão Carvalho afirmou que a Polícia Militar estará empenhada em manter a segurança e o direito do exercício democrático de cada cidadão e aconselhou aos eleitores que respeitem as divergências de opiniões não somente na hora do voto como nas comemorações dos apoiadores dos candidatos eleitos, a fim de que todos tenham um dia de eleição seguro.

Já Bruno, relatou que a PF de Vilhena estará presente em 12 municípios do Estado, que não possuem delegacias próprias e está sendo preparado um grande aparato no combate aos crimes eleitorais, no entanto, solicitou a colaboração dos eleitores, para que denunciem sem medo, qualquer atitude suspeita por parte de candidatos ou eleitores.

Ainda segundo o delegado, até o momento a PF não investiga nenhuma denúncia sobre compra de votos em municípios do Cone Sul.

PF CONTRA FAKE NEWS

De acordo com o delegado Bruno, além do trabalho ostensivo, a PF também atuará através do Núcleo de Inteligência (NI) no combate às fake news que possam vir a ser disseminadas antes e durante o dia das eleições.

“O disseminador de uma notícia falsa sobre qualquer candidato, seja ele Estadual ou Federal, não pense que com o término das eleições sairá impune, pois as investigações contra esse tipo de conduta vão além do dia 07 e se caso for comprovada o delito por parte do cidadão, este será devidamente penalizado”, concluiu Bruno.

Qualquer denúncia de crimes ou condutas irregulares podem ser realizadas através do 190 (PM), 3316-1600 (PF) ou diretamente no disque eleições pelo número 148.

Texto e fotos: Extra de Rondônia

segurança – 468×60

COMUNICADO: Atenção caros internautas: recomenda-se critérios nas postagens de comentários abaixo, uma vez que seu autor poderá ser responsabilizado judicialmente caso denigra a imagem de terceiros. O aviso serve em especial aos que utilizam ferramentas de postagens ocultas ou falsas, pois podem ser facilmente identificadas pelo rastreamento do IP da máquina de origem, como já ocorreu.

A DIREÇÃO