Queimada 728×90

@@@ POLÍTICA CONTURBADA

2018 foi um ano turbulento na política de Vilhena. Pela primeira vez na história, o município teve três prefeitos comandando as ações administrativas num mesmo ano. O mandato de Rosani Donadon (MDB) foi cassado pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE) e Adilson de Oliveira (PSDB), presidente da Câmara, assumiu o cargo; Logo em seguida, Eduardo Japonês (PV), eleito nas eleições suplementares, comanda as atividades.

@@@ SÓ PROMESSAS

Essas questões fizeram paralisar a programação de trabalho dos gestores. Isto porque cada um tem seu jeito de trabalhar. O certo é que, a promessa de todos, de enxugar a máquina pública com servidores comissionados, não aconteceu. As mais de 500 vagas por portarias continuam preenchidas. Rosani iniciou e o número de cargos foi mantido por Oliveira. Japonês aumentou, mas logo em seguida recebeu um “puxão de orelha” do Tribunal de Contas do Estado (TCE), tendo que ficar à margem da lei.

@@@ SETE MESES DO JAPA

Nesta terça-feira, 1º de janeiro de 2019, inicia o sétimo mês de Eduardo Japonês à frente da prefeitura de Vilhena. Em visita ao EXTRA DE RONDÔNIA semana passada, ele afirmou que nestes meses teve como maior desafio a falta de verba, mas destacou que as ações planejadas foram realizadas. Garante que fecha o ano de forma positiva. Por outro lado, disse – mais uma vez – que não pensa em reeleição e que está focado em cumprir aquilo que prometeu quando tomou posse como prefeito. Sei lá…mas há muita controvérsia nessas afirmações.

@@@ INEXPERIÊNCIA?

Com a inexperiência administrativa em “alta”, os vereadores de Vilhena não conseguiram concretizar o que prometeram no início de mandato: transparência com a coisa pública. Um exemplo é a promessa do atual presidente, Adilson de Oliveira (PSDB), dita em abril deste ano, de gastar R$ 2,5 milhões com a reforma e ampliação da Casa de Leis. Passados oito meses, a obra, ao todo, supera os R$ 3,5 milhões, com a inclusão de aditivos, e recursos para paisagismo e aquisição de equipamentos. Embora a obra tenha elogios, também é fortemente criticada por moradores que acreditam que o dinheiro público poderia ter sido melhor usado em áreas prioritárias, como a saúde.

@@@ TRANSPARÊNCIA

Apesar das críticas, os parlamentares acreditam que fazem um mandato com responsabilidade e transparência. A última sessão do ano, realizada sábado passado, foi marcada pelos discursos de elogios ao atual presidente do Legislativo. O vereador Rafael Maziero (PSDB) chegou a dizer que “podem ter certeza que a marca de Oliveira ficará registrada como um dos melhores presidentes que o Poder Legislativo já teve na sua história”. É o que ele pensa!

@@@ A POLÊMICA DO IPTU

Os vereadores de Vilhena também foram fortemente criticados pela aprovação do ajuste do Imposto Predial Territorial Urbano (IPTU), solicitada em regime de urgência pelo prefeito Eduardo Japonês. Dos doze atuais, apenas os vereadores Carlos Suchi e Rogério Golfeto (ambos do Podemos) votaram contra. Oliveira, por ser presidente da Casa, não votou. Líderes comunitários e empresariais garantem que os novos valores do IPTU prejudicarão os contribuintes.

@@@ A FAVOR DO AJUSTE

Na última sessão do ano, o (quase) presidente do Legislativo, Ronildo Macedo (PV), comentou o ajuste do IPTU. “Nós vereadores, que votamos nesse projeto, foi com segurança e a certeza que não vai prejudicar o mais pobre e aqueles que necessitam. Ao contrário, vai ajudar. Talvez em 2020 não tenha reflexo, mas daqui a cinco anos todos irão parabenizar pelo que fizemos. Os gestores têm que saber gastar esse dinheiro na infraestrutura, educação e outros setores importantes”, disse. O jeito é aguardar pra ver!

@@@ SUPOSTO FRAUDE

O PSDB, representado pelo segundo vice-presidente regional Alan Queiroz, vereador de Porto Velho, apresentou ação de impugnação de mandato eletivo contra o Podemos, antigo PTN, dois deputados estaduais eleitos pela legenda, além de 26 suplentes da sigla. Portanto pede, entre outros pontos, a perda dos mandatos obtidos por Cirone Deiró (Cacoal) e Cássia dos Muletas (Jarú). Jean Mendonça, de Pimenta Bueno, diplomado como ocupante da primeira suplência, também está arrolado no pedido de perda da função.

@@@ MAIS FORTE EM 2019

E para finalizar a coluna “Cego, Surdo e Mudo” de 2018: a equipe do EXTRA DE RONDÔNIA deseja a todos os internautas um próspero Ano Novo e garantimos continuar em 2019 com a mesma seriedade, honestidade e dinâmica com a informação levada ao ar, qualidade que faz do EXTRA DE RONDÔNIA o de maior credibilidade e o mais acessado site de notícias da região do Cone Sul, além de ser um dos principais veículos de comunicação formadores de opinião do Estado de Rondônia.

 

Texto: Extra de Rondônia

Foto: Ilustrativa

segurança – 468×60