Ao que tudo indica, o prefeito de Vilhena, Eduardo Japonês (PV), deve decidir pelo embate jurídico para não acatar a decisão da maioria dos vereadores referente ao Imposto Predial Territorial Urbano (IPTU) semana passada.

Oito dos doze atuais vereadores se reuniram semana passada e “derrubaram” o veto parcial relativo à Emenda Modificativa apresentada pelo vereador Rafael Maziero (PSDB), prevê que “as alíquotas progressivas não serão aplicadas caso o proprietário possua um único imóvel”. Relembre AQUI

De acordo com informações extraoficiais, a Procuradoria Geral do Município (PGM) assinalou a possibilidade de emitir parecer para seguir o entendimento original que vetou a proposta do parlamentar tucano alegando inconstitucionalidade da matéria.

Caso Japonês decida por manter seu posicionamento, a situação deve parar nos tribunais.

O Extra de Rondônia entrou em contato com a assessoria da prefeitura e aguarda nota a respeito do assunto.

Um vereador ouvido pelo site garante que o entendimento da assessoria jurídica do Poder Legislativo tem embasamento legal e que recorrerá à justiça caso o prefeito não respeite a decisão soberana do plenário.

O veto do prefeito, contudo, contraria o discurso de que houve tal “amplo debate” com os parlamentares. Relembre AQUI

 

Texto: Extra de Rondônia

Foto: Extra de Rondônia

sicoob credisul
vacina 728×90

COMUNICADO: Atenção caros internautas: recomenda-se critérios nas postagens de comentários abaixo, uma vez que seu autor poderá ser responsabilizado judicialmente caso denigra a imagem de terceiros. O aviso serve em especial aos que utilizam ferramentas de postagens ocultas ou falsas, pois podem ser facilmente identificadas pelo rastreamento do IP da máquina de origem, como já ocorreu.

A DIREÇÃO