O Ministério de Saúde (MS) emitiu boletim com informações detalhadas dos casos de malária colhidos entre 2017 e 2018 no Estado de Rondônia.

O aumento é confirmado através dos números atualizados em 8 de janeiro deste ano.

Conforme o relatório, Vilhena é um dos municípios com maiores percentuais em Rondônia, atingindo 124% de aumento dos casos.

Constam na relação Ariquemes (122%), Guajará-Mirim (24%), Nova Mamoré (78%) e Porto Velho (30%).

De acordo com o boletim emitido, as áreas especiais que concentram a maior incidência de casos notificados são os assentamentos, com aumento de 64%, áreas indígenas também com aumento de 64%, garimpos com 40%, e áreas rurais que registraram um crescimento de 11% nos índices de notificação.

CONE SUL

Especificamente aos municípios do Cone Sul, além de Vilhena, mais três tiveram aumento de casos notificados.

Vilhena teve 37 casos em 2017 e saltou para 83 em 2018. Aumento de 124%; Cerejeiras teve 2 casos em 2017 e 4 em 2018; Cabixi teve 1 em 2017 e 3 em 2018 e, finalmente, Chupinguaia teve 1 em 2017 e 2 em 2018.

AUTÓCTONES

Com relação a casos autóctones, que se dá para uma doença que adquirida na zona da residência do enfermo, foram detectados 2 em Vilhena em 2017 e 11 em 2018; já em Chupinguaia, foram registrados 1 em 2017 e 2 em 2018; Chupinguaia teve 1 caso em 2017 e 2 em 2018.

 

>>> VEJA, ABAIXO, O RELATÓRIO NA ÍNTEGRA:

casos de malaria em RO

 

Texto: Extra de Rondônia

Foto: Ilustrativa

 

sicoob credisul
vacina 728×90

COMUNICADO: Atenção caros internautas: recomenda-se critérios nas postagens de comentários abaixo, uma vez que seu autor poderá ser responsabilizado judicialmente caso denigra a imagem de terceiros. O aviso serve em especial aos que utilizam ferramentas de postagens ocultas ou falsas, pois podem ser facilmente identificadas pelo rastreamento do IP da máquina de origem, como já ocorreu.

A DIREÇÃO