Sandya Ribeiro Belém

Muitas pessoas em Vilhena conhecem o caso de Sandya Ribeiro Belém que, em 4 de julho de 2015, quase morreu em um acidente automobilístico na avenida Jô Sato, quando um carro atingiu a moto em que ela e o pai estavam.

Segundo os médicos, ela ficou mais de quarenta minutos sem respirar após o acidente. Teve traumatismo craniano e hemorragia interna no pulmão que lhe causaram graves danos cerebrais, principalmente no campo locomotor.

Sandya passou 37 dias em coma na UTI e por várias cirurgias. No entanto, hoje, 4 anos após o fatídico dia, após centenas de sessões de fisioterapia e muito carinho de seus pais, Sandya voltou a cursar Direito na Faculdade AVEC.

No ano do acidente, ela já estava cursando a faculdade e viu seu sonho de ser, um dia, desembargadora, ficar em segundo plano.

Questionada sobre porque decidiu retornar a cursar Direito, ela disse que não quer desistir de seus sonhos e tem mais tempo agora. “Antes do acidente, eu trabalhava durante o dia e a noite fazia faculdade. Era muito corrido. Agora tenho mais tempo, e também estou evoluindo bem no tratamento, tendo a chance de continuar como meus sonhos de vida”, disse.

AJUDA DE AMIGOS

Sobre os amigos de sala de aula, ela disse que são pessoas muito boas, que lhe ajudam o tempo todo no que ela precisa. “Estou tendo dificuldade para enxergar de longe e eles me ajudam a copiar as matérias do quadro todos os dias”, comentou.

Sandya lembra que, se não fosse o acidente, estaria se formando junto com sua turma neste fim de ano, e que hoje não precisa cursar todas as disciplinas, porque algumas já cursou. “Estou gostando muito de voltar a cursar Direito. Algumas matérias que não haviam na grade de disciplinas no primeiro período em 2015. Agora estou cursando e adorando”, afirmou Sandya, que completará 21 anos em maio.

Sandya não quer desistir do sonho de se tornar Desembargadora

COORDENADOR COMENTA

O coordenador do curso de Direito da Faculdade AVEC, professor Hélio Daniel de Favare Baptista, ressaltou que Sandya é muito bem-vinda em seu retorno. “Ficamos felizes que nossa acadêmica retornou. Eu e todos os professores estamos dando todo suporte necessário para que ela complete o curso e se torne uma operadora do Direito com excelência”, disse.

Sandya fez questão de deixar uma mensagem a todos: “Enquanto há vida, existe esperança. Estou viva, e porque desistiria de meu sonho?”.

Antes do acidente, Sandya trabalhava durante o dia e a noite fazia faculdade

COMUNICADO: Atenção caros internautas: recomenda-se critérios nas postagens de comentários abaixo, uma vez que seu autor poderá ser responsabilizado judicialmente caso denigra a imagem de terceiros. O aviso serve em especial aos que utilizam ferramentas de postagens ocultas ou falsas, pois podem ser facilmente identificadas pelo rastreamento do IP da máquina de origem, como já ocorreu.

A DIREÇÃO