Manifestação dos taxistas em frente ao gabinete (Foto: Extra de Rondônia)

Logo pela manhã desta segunda-feira 11, a categoria de taxistas do município de Vilhena se reuniu em frente ao gabinete do prefeito Eduardo “Japonês”, para reivindicar a regularização da Lei 13.640/2018 que permite a circulação de serviços individuais de transportes – Uber, Urbano, etc.

Segundo o presidente dos taxistas do município, Carlos Aparecido de Melo, são totalmente a favor dos serviços oferecidos via aplicativo, desde que se regulamente como ordenado na lei.

“Hoje encontramos serviços de transportes adesivados e que atendem via telefone, o que não pode ocorrer segundo a lei. Além do que, os serviços devem conter as placas dos municípios dos quais prestam serviço e se verificarmos temos placas de São Paulo, Cuiabá e de outros Estados, por isso estamos cobrando do prefeito”, explicou ele.

O presidente afirma que já foram realizadas outras reuniões com representantes de aplicativos junto ao promotor, mas a situação tem se estendido e nada foi resolvido, pois a lei prevê uma coisa, mais a prática é outra.

Outro detalhe cobrado pelo representante é que cada município deve conter uma lei orgânica para o funcionamento de transportes. “Já nos reunimos com o prefeito diversas vezes, nelas ele sempre pedia um prazo, mas não recebemos nenhuma resposta”.

Melo lembra que a cada cadastro o município recebe um valor. “O que queremos é a organização com contagem da frota existente e com o pagamento de impostos assim como nossa categoria faz”.

O presidente finaliza enfatizando mais uma vez não ser contra o serviço, e pontua que está em seu direito de reivindicar junto à categoria, pois acredita que assim como eles os outros serviços também devem ter padrões de funcionamento e legalização.

Taxistas de Vilhena (Foto: Extra de Rondônia)
Carlos Aparecido de Melo, presidente dos taxistas de Vilhena (Foto: Extra de Rondônia)

COMUNICADO: Atenção caros internautas: recomenda-se critérios nas postagens de comentários abaixo, uma vez que seu autor poderá ser responsabilizado judicialmente caso denigra a imagem de terceiros. O aviso serve em especial aos que utilizam ferramentas de postagens ocultas ou falsas, pois podem ser facilmente identificadas pelo rastreamento do IP da máquina de origem, como já ocorreu.

A DIREÇÃO