Foto: Ilustrativa

A prisão de quatro jovens com idades entre 18 e 22 anos se deu na noite de segunda-feira, 11, em uma chácara localizada na travessa 05, capa 144, zona rural de Vilhena e no Parque Ecológico.

De acordo com o registro da ocorrência, a Polícia Militar já vinha monitorando a referida quadrilha e recebeu informações de que em uma residência localizada no Bairro Parque Cidade Jardim havia um veículo escondido, que era produto de roubo.

Em posse das informações, uma guarnição foi ao local e através das frestas das paredes, foi possível visualizar no interior do imóvel, cujo proprietário já se encontra preso pelo mesmo crime, uma motocicleta Yamaha fator, de cor vermelha, com placa NCW-3232.

Devido não haver no local, ninguém que fosse responsável pela casa, os militares entraram e removeram o veículo, que foi conduzido até o pátio da Delegacia da Polícia Civil.

Como já era de conhecimento da polícia que a referida quadrilha estava dividida por setores de atuação, sendo os responsáveis pelos roubos, um jovem conhecido como “Baleia” juntamente com outro de alcunho “De Cara”, e que um terceiro jovem conhecido como “Lucão” se encarregava de desmanchar e vender as peças dos veículos que eram escondidos em uma chácara de propriedade de um casal, foi feito o deslocamento até a referida propriedade.

No meio do caminho, o jovem conhecido como “De Cara” foi avistado transitando pela via e passou a apresentar muito nervosismo ao avistar a guarnição.

Ao ser abordado, o suspeito, que já havia sido fotografada há cerca de uma semana pelo Núcleo de Inteligência da PM, empurrando uma motocicleta Honda CG Titan, de cor vermelha, com placa NDJ-5522, que havia sido roubada cerca de dois dias antes do flagrante, o mesmo confessou o crime e relatou que havia entregado o veículo para a pessoa de “Lucão”, porém, não relatou se roubou ou receptou o mesmo.

Na referida chácara, foi feito contato com a pessoa de “Lucão” e dentro de seu quarto foi localizada a referida motocicleta que “De Cara” relatou ter entreguedo a ele.

Já em um galpão ao lado da residência foram encontrados um motor, rodas e diversas peças de outros veículos similares, assim como outras espalhadas pelo quintal a fora, demostrando que o local se tratava mesmo de um desmanche de motos.

Em seu relatos, “Lucão” confessou que sempre encomenda roubos de motocicletas, juntamente com “De Cara”, pelo valor de R$ 500,00 e que as desmancha na referida chácara, com o aval do proprietário.

Ainda segundo o agente, só a pessoa de “De Cara”, já lhe forneceu mais duas motos além da que havia acabado de ser localizada, sendo uma Honda Broz, que já havia sido recuperada pela PM e uma Titan preta, que estava desmanchada no local.

Após os relatos de “Lucão”, a guarnição, que recebeu o apoio do Patrulhamento Tático Móvel (Patamo) saiu em diligências em busca do proprietário da chácara, identificado como Henrique, que ao ser localizado no Parque Ecológico, rota esta, proibida a ele que se encontra sob monitoramento eletrônico, confessou o crime afirmando que a cerca de 30 dias tem fornecido sua residência para esconder os veículos e que inclusive, ajuda “Lucão” no desmanche dos mesmos.

Em sua companhia estava outro jovem, que ao ser revistado, passou a acusar um dos policiais de ter roubado sua carteira. Outro fato que também chamou a atenção dos militares é que o escapamento da moto que o rapaz conduzia, era similar ao de um dos veículos roubados, sendo o mesmo questionado sobre a procedência da peça e relatado ter comprado da pessoa de Henrique.

Diante dos fatos, os quatro suspeitos foram conduzidos até a Unidade Integrada de Segurança Pública (Unisp), juntamente com os veículos e peças recuperadas para o registro da ocorrência.


COMUNICADO: Atenção caros internautas: recomenda-se critérios nas postagens de comentários abaixo, uma vez que seu autor poderá ser responsabilizado judicialmente caso denigra a imagem de terceiros. O aviso serve em especial aos que utilizam ferramentas de postagens ocultas ou falsas, pois podem ser facilmente identificadas pelo rastreamento do IP da máquina de origem, como já ocorreu.

A DIREÇÃO