Esse é o Plano – 728×90

 

Heliel Jefferson Martins Costa e Caio Rodrigo Pellim (delegados da PF) e Rériton Weldert Gomes (auditor fiscal)

A coletiva de imprensa foi concedida pelo Auditor Fiscal da Receita Federal, Rériton Weldert Gomes, o delegado e superintendente da Polícia Federal em Rondônia, Caio Rodrigo Pellim e o delegado responsável pelas investigações da Operação DRACMA, Heliel Jefferson Martins Costa.

Na ocasião, os federais deram detalhes da referida operação deflagrada em todo os Estado de Rondônia, na manhã desta quinta-feira, 14, contra uma organização criminosa que atuava na lavagem de capitais e evasão de divisas oriundas do tráfico internacional de drogas, além de sonegação fiscal,  principalmente na cidade de Guajará-Mirim, onde se deu a coletiva.

O delegado Caio relatou que as investigações, que duraram pouco mais de dois anos, tiveram início sobre 26 inquéritos e 86 laudos da PF, assim como 36 relatórios fiscais da Receita Federal, e identificaram um esquema criminoso exposta na matéria divulgada pelo site ainda no período da manhã. (Reveja AQUI)

Durante a primeira fase da operação, que contou com 220 policiais federais, 22 servidores da Receita Federal e com o apoio logístico do Exército Brasileiro, foram cumpridos 72 mandados de busca e apreensão, seis medidas cautelares de afastamento de funções como administração e gerência de empresas, assim como, o bloqueio de 147 contas bancárias.

Ao todo foram apreendidas armas, joias, veículos e certa quantia em, tanto em moeda nacional, como estrangeira e quatro pessoas foram presas em flagrante.

Locais de cumprimento das medidas:

Porto Velho / Ariquemes / Ji-Paraná / Cacoal / São Miguel do Guaporé / Ouro Preto D’ Oeste / Guajará-Mirim / Nova Mamoré / Cuiabá / Itaituba

Fotos: PF

Fhemeron 468x60px
Esse é o Plano – 468×60

COMUNICADO: Atenção caros internautas: recomenda-se critérios nas postagens de comentários abaixo, uma vez que seu autor poderá ser responsabilizado judicialmente caso denigra a imagem de terceiros. O aviso serve em especial aos que utilizam ferramentas de postagens ocultas ou falsas, pois podem ser facilmente identificadas pelo rastreamento do IP da máquina de origem, como já ocorreu.

A DIREÇÃO